Novidades

Nossa Senhora

Imaculada Conceição

A Imaculada Conceição é, segundo o dogma católico, a concepção da Virgem Maria sem mancha (em latim, macula ) do pecado original. O dogma diz que, desde o primeiro instante de sua existência, a Virgem Maria foi preservada por Deus, da falta de graça santificante que aflige a humanidade, porque ela estava cheia de graça divina. Também professa que a Virgem Maria viveu uma vida completamente livre de pecado. A festa da Imaculada Conceição, comemorada em 8 de dezembro, foi definida como uma festa universal em 28 de Fevereiro de 1476 pelo Papa Sisto IV. A Imaculada Conceição foi [ Continue lendo]

Ele agiu com a força do seu braço.

Amigo internauta, em seu canto, Nossa Senhora, como havia dito em outro artigo, cantou as misericórdias de Deus, seu amor em favor do povo. Quais foram essas misericórdias? Nos versos que proponho para nossa reflexão nos diz: “Ele agiu com a força de seu braço. Dispersou os arrogantes de coração. Derrubou dos tronos os poderosos e exaltou os humildes. Encheu de bens os famintos e despediu os ricos sem nada. Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, como tinha dito a nossos antepassados, em favor de Abraão e sua descendência, para sempre.” (Lc 1,51-55). Ele [ Continue lendo]

Sua Misericórdia perdura de geração a geração

Amigo internauta, se há uma palavra de uso constante na boca do brasileiro é esta: misericórdia. Tal palavra evoca uma realidade bastante complexa: nossa miséria e o coração de Deus a nos acolher em seu coração amoroso. Miseri – corresponde a nossa condição humana limitada, pequena, humilde, espacial. Cordia – corresponde ao coração amante e amado de Deus que se debruça sobre nossa condição de miséria e o eleva a condição divina. Misericórdia – é então a condição que temos e somos de sermos amados em nossa pequenez por Deus nosso Senhor.             [ Continue lendo]

Aparições e Revelações.

Aparições e revelações é algo comum nas religiões mistéricas. Desde os tempos mais remotos que homens e mulheres registraram experiências sensitivas dando à elas algum valor que de algum modo interfere na vida de pessoas, grupos e povos. Na religião judaico-cristã essa realidade também existe e tem uma outra conotação. Sobre isso, abordamos neste artigo, e que, fundamenta-se no subsidio doutrinal da CNBB: “aparições e revelações particulares (Paulinas 1990)”             Na tradição de matriz Católica Romana aparições e revelações particulares são [ Continue lendo]

Seu nome é Santo.

            Amigo internauta, uma coisa que nos identifica de modo irrefutável é o nome. Ele é nossa identidade. Pois bem, em nossa contemplação de hoje, convido-o a refletir sobre o que o bom Deus faz em nossas vida, tendo bem presente a invocação do Seu Nome.             No canto de Nossa Senhora, ela nos afirma: “O poderoso fez grandes coisas em mim, seu nome é Santo” (Lc 1,49). De fato, já algum tempo que estamos refletindo os feitos de Deus na vida de Maria Mãe e as consequências desses feitos na vida da Igreja, e porque não dizer, da Humanidade. [ Continue lendo]

Exulta meu espírito em Deus meu Salvador.

            Amigo internauta, contemplando o cântico de Maria, a Senhora, escrito por Lucas, o evangelista, teço algumas linhas como já o venho fazendo nestes últimos artigos. Hoje, peço a você para mergulhar comigo em algo genuíno da fé cristã: a alegria.             A alegria é uma característica presente nos que estão ou são felizes por algo ou alguém em sua vida. Nesse sentido, a reação muitas vezes é inesperada ou mesmo pensada com efeitos momentâneos ou duradouros por algum ou por muito tempo. Todo nosso corpo, todo nosso ser, biologicamente, [ Continue lendo]

Minha alma engrandece o Senhor.

Amigo internauta, os salmos estão cheios de oração cujo espírito mostra a grandeza da alma em reconhecer o divino criador e seus atos de amor, compaixão e bondade. São louvores, ação de graças e poesias que revelam o amor e a gratidão da criatura para com o criador, e quanto temos para agradecer… Maria, mãe de Jesus e nossa, assim reza a fé crente, passou toda a sua vida em ação de graças pelo amor de Deus derramado em sua vida. Desde pequenina aprendeu a ser assim. Tão logo compreendeu desde pequenina que a vida só tinha sentido com Ele, para Ele e n’Ele. Algo [ Continue lendo]

Eis que Javé mesmo lhe dará um sinal.

            Amigo internauta convido você a contemplar o sinal de Deus: uma jovem gravida. Isso mesmo! É o que nos diz o texto de Isaias 7,14s: “Pois saibam que Javé mesmo lhes dará um sinal: A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel.” (Tradução da NBP- Paulus). Esse texto não se aplica a Maria dentro de uma leitura judaica das Escrituras, mas os cristãos viram no texto uma profecia mariana e jusuânica. Na leitura de perspectiva cristã, essa jovem é Maria. O texto citado no Novo Testamento fala de “uma virgem” no lugar de “uma [ Continue lendo]

“Quem é essa que avança como aurora…”

Amigo internauta, no livro Cânticos dos Cânticos ou Cantares do Primeiro Testamento, no capítulo 6, verso 10 está escrito: “Quem é essa que surge como aurora, bela como a lua, brilhante como o sol e terrível como exército com bandeiras erguidas?” (Nova Bíblia Pastoral) e cuja interpretação e leitura cristã moderna, nós a aplicamos a Maria, mãe de Jesus. Sim, inclusive há um hino bem popular que, provavelmente você já o tenha escutado, traz essa realidade e sentimento que seus devotos e filhos cantarola vez outra.             De fato, olhando a história das [ Continue lendo]

Maria, a intercessora.

É sabido por todos que Maria, mãe de Jesus, tem fama de milagreira e intercessora. Basta ver os santuários, aparições, e testemunhas de seus filhos mais devotos, alguns inclusive bem exagerados nesse quesito. Mas, quem não o seria? Também muitos de nós, religiosos ou não, somos excessivamente exagerados ao ponto de cometer o cumulo de atitudes algumas das mais sem sentido para não falar bizarra e estupidas com nossos ídolos atores de cinema, novelas, e cantores populares dos mais diversos ritmos da música e cultura brasileira. O dito pelo não dito, todos temos lá nossos [ Continue lendo]

Uma mulher, uma criança e o dragão.

Amigos internautas, hoje, nossa reflexão e contemplação tem como texto bíblico o Apocalipse 12. A história é conhecida: uma mulher gravida, um dragão a lhe perseguir, uma ajuda do céu através do anjo, a derrota do dragão e a proteção da mulher, etc.             Durante muito tempo essa mulher foi identificada com Maria, Nossa Senhora. Mas, se olharmos bem, e consultarmos a teologia bíblica e as recentes pesquisas veremos que não. Como assim?             O texto segunda uma exegese séria, mostrará que, o texto é uma releitura do capítulo 3 do livro de [ Continue lendo]

Maria: primeira cristã, mãe da Igreja: Quarto relato.

Caro internauta, começamos essa série de artigos sobre Nossa Senhora, contemplando os textos bíblicos que os primeiros cristãos e evangelistas conservaram de Maria, a mãe de Jesus, ouvinte e praticante da Palavra. Vimos em alguns textos evangélicos sua coragem, atitudes, sofrimento e sua fé; lemos como foi ouvinte, praticante, mãe e discípula fiel. Os primeiros cristão, e assim o entendeu os redatores dos evangelhos cujos textos citamos, que Maria estava repleta e cheia de graça, da graciosidade das bondades e amor de Deus. Entenderam que ela recebeu o maior título desde então, [ Continue lendo]

Maria, sofredora e solidária no sofrimento: Terceiro relato.

Caro internauta, amigo leitor, esse é o nosso terceiro artigo em que contemplando o texto bíblico sobre Maria, a mãe de Jesus, nossa querida Nossa Senhora, como é chamada carinhosamente pelo nosso povo, e com razão, me debruço sobre o terceiro retrato deixado pelas comunidades cristãs e registrado pelo evangelista João: Maria, sofredora e solidária com os que sofrem. Em Jo 19, 25-27, temos o retrato de Maria, que sendo mãe de Jesus sofre comovidamente por ser mãe, discípula ouvinte e praticante da Palavra de Deus, principalmente encarnada em Jesus, que naquele momento está na [ Continue lendo]

Maria Servidora: Segundo relato.

            Caro leitor e internauta, continuando nossa reflexão sobre Nossa Senhora dentro das Sagradas Escrituras no Segundo Testamento, o fazemos em quatro partes usando o termo “retratos” para designar o que a memória das comunidades conservou sobre nossa Senhora. Pois, bem, no artigo anterior falávamos do primeiro retrato conservado pelas comunidades: Maria mãe de Jesus, corajosa e cúmplices do plano de Deus com o seu Sim. Neste segundo retrato, o evangelista Lucas em 1,39-56, nos diz de Maria, mãe de Jesus: Ela é Servidora. Está atenda às necessidades das pessoas [ Continue lendo]

Maria, mãe de Jesus: Primeiro relato.

Caro leitor deste artigo e internauta, como o título diz, falo a você sobre Maria, não de qualquer Maria, mas de Maria mãe, mãe de Jesus e da Igreja. E para tal, me apego a Bíblia, e partilho com você alguns textos que a comunidade primitiva guardou de sua presença e ação quando entre nós esteve.             Esses textos nos dizem muito do que já no século primeiro, pensava os cristãos sobre ela e que testemunho deixaram para nós. Vejamos.             Em Lc 1, 26-38; temos dela um relato bem preciso. Nesse texto, a Maria é anunciada o plano de Deus e lhe [ Continue lendo]