Novidades

Bíblia

Primeira Carta aos Tessalonicenses: Contexto e leitura

Ser cristão na cidade grande – um desafio hoje Introdução     A primeira carta de Paulo aos Tessalonicenses é o primeiro escrito do Segundo Testamento, escrita por volta do ano 51 depois de Cristo. É a primeira carta autêntica das sete escritas pelo próprio Paulo (as outras são: Romanos, Gálatas, 1 e 2 Coríntios, Filêmon e Filipenses). Nesta carta, o autor expressa sua alegria pela perseverança da comunidade, que é modelo para as igrejas da região Macedônia, bem como responde aos seus questionamentos quanto a parusia (a volta de Jesus) e a exorta na santidade em meio [ Continue lendo]

As primeiras comunidades cristãs

Jesus ressuscitou, enviou o Espírito Santo e agora é a hora e a vez das testemunhas. Ao redor dos “ditos” e da “memória” de Jesus sob orientação dos discípulos, com um olhar nas Escrituras do Primeiro Testamento e outro nos Acontecimentos a Igreja vai tomando forma, escutando o que o Espírito diz as comunidades nascentes, vão pregando, evangelizando, catequizando. A partir das leituras dos  Atos 2,42-47;  4,32-35 e 10 [34-48] tecemos a última reflexão do nosso estudo dos Evangelhos e Atos, para os grupos de evangelização, crisma e grupos de jovens. As primeiras [ Continue lendo]

Pentecostes: Recebei o Espirito Santo

Jesus ressuscitou, apareceu aos discípulos, dá-lhes instruções, sobe aos céus e, eles se preparam para o próximo evento que há de vir. Assim, partindo dos textos de João 7,37-39; 14, 14-17.24-28 e Atos 2, 1-21, tecemos essa reflexão sobre o Espírito Santo e os inícios da Igreja. Pentecostes: Recebei o Espirito Santo Contextualização             Jesus promete o Espirito Santo (cf. Jo 14, 16). O Espirito sempre esteve com Jesus (cf. Lc 4,16) e ele nos dá a nós discípulos seus.             Qual a função do Espirito Santo na vida do crente? Segundo João [ Continue lendo]

A ressurreição de Jesus

A ressurreição de Jesus é o ato fundante da fé cristã. A partir dos textos de Marcos 16, 1-8; Lucas 24,13-35; 1Coríntios 15,1-28. Tecemos essas linhas de reflexão para os grupos de jovens, de crisma, de evangelização, de círculos bíblicos, aprofundarem o tema. A ressurreição de Jesus Contextualizando             A ressurreição de Jesus é um dado de fé. Jesus ressuscitou – essa é a afirmação convicta da fé cristã. Através da ressurreição de Jesus podemos compreender o sentido da vida que Ele é.             Na história humana não há [ Continue lendo]

A morte de Jesus

A morte de Jesus na ótica da fé é redentora e salvadora. Olhando pelo contexto histórico foi assassinato e testemunho. Mas, porque Jesus morreu, se nos Atos dos Apóstolos (2, 22s) nos diz que ele viveu fazendo o bem? A quem importaria sua morte? Que forças estariam conspirando sua morte e porque? A partir da leitura dos textos de Mateus 15,20b-39;  João 19,28-42;  Atos 2,22-24 tecemos essas linhas de estudo e oração para os grupos de catequese de jovens, adultos e círculos bíblicos. A morte de Jesus Contextualizando             Jesus morreu relativamente jovem, com 33 [ Continue lendo]

A perseguição a Jesus

A morte de Jesus é redentora, salvadora, nos diz a fé cristã, mas por outro lado, a causa que defendia o levou ao martírio. Ele foi assassinado. Porém, Deus não deixa impune a morte do Justo. Nesse texto, a partir das intuições e testemunho do Evangelho e Marcos nos capítulos e versículos: 2,15-17;  11, 15-19;  12,38-40, tecemos nossa reflexão e estudos para você e os grupos populares de evangelização e catequese de nossas comunidades. A perseguição a Jesus Durante todo seu ministério Jesus prega, ensina, cura e perdoa os pecados. A sua fama se espalhou de maneira tal que [ Continue lendo]

Os milagres de Jesus

Seguindo a série de nossos estudos para os grupos e movimentos, tecemos neste estudo uma reflexão e introdução ao carisma taumaturgo de Jesus. Ou seja, a partir dos textos de Lucas 11,14-21; Mateus 15, 29-31; e Marcos 5, 21-43, conheceremos o lado “milagreiro” de Jesus e o sentido de seus milagres. Os milagres de Jesus Jesus prega, ensina e cura. Jesus é lembrando no meio do povo pelas muitas curas que fez. O povo via em Jesus não uma espécie de “curandeiro”, mas uma presença benfazeja, uma presença profética com poderes curativos (cf. Lc 7,16). Ele é o “dedo de [ Continue lendo]

Os ensinamentos de Jesus

Jesus é Mestre. Todos os textos bíblicos mostram isso. Ele ensinou, sabe ensinar e ensina com autoridade. Não fez faculdade, não fez o curso do ensino médio, técnico ou científico, mas sabia e sabia que sabia. Muitos dos seus ouvintes se questionaram: “De onde vem tanta sabedoria?”. E mais, o que ensinava? Do que falava seus ensinamentos? A partir dos textos de Mateus 13,1-9; Marcos 7,14-23; Lucas 6,20-49, tecemos esse texto para o estudo sobre os ensinamentos de Jesus. Os ensinamentos de Jesus Jesus andou no meio do povo fazendo o bem. Curou a muitos, perdoou pecados, [ Continue lendo]

Os discípulos e discípulas de Jesus

Os discípulos e discípulas de Jesus foram pessoas do povo que também como o povo esperavam o Reino de Deus e seu Messias. De algum modo todos foram chamados por Jesus e responderam o seu sim por acreditar que nele havia algo de Deus. De fato, não o sabiam explicar mas era forte sua intuição a respeito do Nazareno. Partindo dos textos de Mateus 4,18-22; Marcos 3,13-19; Lucas 8, 1-3; 10, 1-11; e João 1,35-51 tecemos esse comentário vocacional e testemunho de fé. Os discípulos e discípulas de Jesus Jesus prega o reino de Deus no meio do povo. Isso é evangelho – boa notícia. [ Continue lendo]

A pregação de Jesus

A pregação de Jesus foi o início de um novo tempo. O que Jesus prega? Para quem? Como reagiram os seus contemporâneos? A partir dos textos de Marcos 1, 14-15.21-22; Lucas 4,16-24; Mateus 4, 23-25, tecemos esse texto para estudo dos grupos de jovens, de crisma e evangelização. A pregação de Jesus Jesus prega ao povo, lhe tem algo a dizer. Como vimos nos textos acima, ele depois de ter recebido o batismo de João, ter escutado o profeta, ter se preparado para a missão, com a força do Espírito começou a pregar ao povo. E sua pregação é simples: “Cumpriu-se o tempo e o Reino de [ Continue lendo]

João Batista

Com esse texto tecemos algumas informações e uma reflexão sobre o profeta João Batista primo de Jesus. A partir dos textos de Marcos 1,4-8; Mateus 3,1-12; e João 1,19-28. Nosso estudo se destina sobretudo para os jovens que estão se preparando para a Crisma, grupos de evangelização, rezas nas casas, etc. Quem foi João Batista? Qual a sua relação com Jesus? O que o Mestre disse de João? Eis nosso estudo. João Batista O povo de Israel é um povo de profetas. Profetas foram homens e mulheres que durante o período do reinado no Antigo Testamento Deus suscitou para orientar o povo, [ Continue lendo]

A sociedade da época de Jesus

Tendo Lucas 3,1-2 como “pano de fundo” em nosso segundo texto da série de estudos bíblicos para grupos de crisma, de jovens, de círculos bíblicos e rezas nas famílias, tecemos o tema da sociedade na época de Jesus. Como viviam, como compreendia os tempos de Deus que estava por vir? Como Jesus compreendeu esse momento? Eis o queremos refletir nesse texto. A Sociedade da época de Jesus             Jesus viveu numa sociedade. A sociedade é a forma como o povo se organiza e vive seus destinos. Na sociedade do tempo de Jesus havia grupos políticos e religiosos; [ Continue lendo]

O povo de Deus

Tendo por base os textos de Deuteronômio 7,6-10 e 1.Pedro 2,9-10 tecemos nesse artigo essa pequena reflexão de estudo sobre o povo de Deus. O texto que segue sugiro como utilização sobretudo para grupos iniciantes de crisma, estudos bíblicos, grupos de rezas nas famílias, etc. O Povo de Deus           O “povo de Deus” é uma expressão que designa tanto o povo de Israel bíblico como os cristãos de todos os tempos.             Quem é esse povo? Como se faz para pertencer a ele? Qual a sua identidade e missão?             O povo de Israel tem como [ Continue lendo]

Os irmãos de Jesus

            Jesus teve irmãos? O que nos diz os textos bíblicos? Como o entenderam a tradição eclesial posterior?             No Novo Testamento a palavra “irmãos” tanto tem conotação com “parentesco” consanguíneo; como conotação “social” ligado a clã, tribo, nação. E Jesus mesmo estende o substantivo irmão para o grupo de seus seguidores, dando a entender que são irmãos de “ideal de vida”. Assim, por exemplo, os cristãos são chamados de irmãos cerca de cento e sessenta vezes em todo o Novo Testamento.             Mas, no que [ Continue lendo]

Profeta

            Os profetas bíblicos foram homens e mulheres dedicados/as a Deus no serviço da profecia. Ela é entendida como um apelo para voltar às fontes que deram origem ao povo e sua fé: a Aliança. A confiança exclusiva em Deus e seu projeto; e é por causa dessa fé exclusiva que a profecia também é denúncia da não vivencia da aliança (o julgamento); e anúncio da justiça e da misericórdia de Deus (a salvação).             Esses homens e mulheres vocacionados viveram no final do período tribal; no contexto do reinado; e depois dele, até em meados do [ Continue lendo]

Maria Madalena

Maria Madalena é objeto de atenção em nossos tempos. Numa livraria se pode encontrar vários livros que alegam expor “a verdade” sobre esta discípula do Senhor. Entretanto, as especulações sobre ela não passam de “meras especulações sem sentido”. Especialista sérios são de opinião que, Maria Madalena, segundo a Bíblia e a Tradição (mesmo as tradições marginais) tem em especial atenção, não pelo que se afirmam dela por aí, mas por sua dedicação, amor e serviço de discípula ao Senhor. As comunidades cristãs primitivas a tem como grande testemunha do Senhor e [ Continue lendo]

A oração dos Salmos

            Os Salmos são a oração do povo de Deus, por excelência. De que trata os salmos?  Da vida e da morte; do cotidiano; do trabalho; dos afazeres do lar; das lutas e derrotas; das conquistas e vitórias; do ódio e do amor; da vingança e da justiça; da injustiça e proteção; da esperança e da eternidade; do nascimento e do cuidado com a vida; com a natureza; do homem e da mulher; da criança, do jovem e do idoso; as dores e de Deus; das incertezas e da perenidade.             Não há nada da vida humana que não esteja contemplado nos salmos. Todo [ Continue lendo]

Olhar Sinótico: As mulheres no sepulcro

Por: Sebastião Catequista Nossa leitura da perícope das mulheres no sepulcro quando da morte do Senhor e sua ressurreição tem como demostrar a riqueza sinótica quanto aos fatos, numa releitura de fé. A ressurreição não constitui um fato nos moldes da concepção da história moderna e muitos menos se pode provar diretamente seus indícios, a não ser pela forma indireta com o olhar da fé. A ressurreição é um dado de fé que não é perceptível à razão e sim à fé, e essa mesma fé, interfere na história criando e recriando a história. Não é assim, por exemplo, a [ Continue lendo]

Olhar Sinótico: Transfiguração

Por: Sebastião Catequista O texto da transfiguração do Senhor na tradição de Mateus está ligado aos eventos anteriores, onde em diálogo com os discípulos, Jesus lhe fala das condições do seguimento, e do anúncio da paixão, o primeiro anúncio (Mt 16,21-23). Desse modo, a perícope estudada já de antemão dar uma ideia da mensagem: revelação de Jesus como o enviado de Deus e superador das tradições (lei e profecia) judaicas contemporânea ao mesmo tempo que cumpre o espirito da mesma. Então, o que vemos em Mateus? Mateus, já no início, assim com Marcos e Lucas, liga esta [ Continue lendo]

Olhar Sinótico: Primeira Multiplicação dos Pães

Texto: Bíblia Pastoral Online Por: Sebastião Catequista Os evangelhos Sinóticos têm em comum o episódio da multiplicação dos pães. Segundo Mateus e Marcos, há em seus escritos dois relatos do mesmo fato (Mt 14, 13-21 e 15,32-39; e Mc 6,30-44 e 8,1-10), porém, com olhares e enfoques diferentes, conforme a teologia de cada evangelista e o contexto eclesiológico de seus ouvintes e destinatários. Aqui, tecemos algumas notas de reflexão sobre o que comumente é conhecido como “primeira multiplicação dos pães”.             Em Mateus, após a prisão de João Batista [ Continue lendo]

Olhar sinótico: A vocação dos discípulos

             Por: Sebastião Catequista O relato do chamado dos discípulos nos evangelhos sinóticos (Mateus, Marcos e Lucas) não só conta a história de como os primeiros seguidores do Senhor começaram a segui-lo, mas também nos remete a realidade das comunidades para as quais foi escrito. No relato há claramente duas realidades simultâneas como testemunho e apelo para o leitor se decidir por Jesus. Aliás, quando o Senhor vem ao nosso encontro, não somos nós que O escolhemos, mas é Ele que toma a iniciativa, e nos escolhe por primeiro.             Para os [ Continue lendo]

Evangelhos Sinóticos

Por: Sebastião Catequista Introdução:               O que é “evangelho” e o que são os “evangelhos sinóticos”? Evangelho é uma palavra grega “euanggelion” que significa “boa notícia”, “boa nova”. “Evangelhos” de outro modo, no plural, designa os livros de Mateus, Marcos, Lucas e João. Entretanto, o termo “evangelhos sinóticos” designa apenas os evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas. São chamados assim, pelas semelhanças dos textos uns dos outros, mas que diferem pela sua teologia peculiar a cada evangelista. E sinótico? A palavra vem da [ Continue lendo]

Os Símbolos dos Quatro Evangelhos

Como foram atribuídos os símbolos dos quatro Evangelhos? A arte cristã sempre representou cada evangelista por um ser vivente: São Mateus é simbolizado por um homem; São Marcos, por um leão; São Lucas, por um touro; e São João, por uma águia. O fundamento desses ícones é bíblico. O livro do Apocalipse de São João, por exemplo, traz a visão de quatro seres viventes que rendiam glória a Deus: “O primeiro animal vivo assemelhava-se a um leão; o segundo, a um touro; o terceiro tinha um rosto como o de um homem; e o quarto era semelhante a uma águia em pleno voo. (…) Não [ Continue lendo]

Evangelho de João: místico e espiritual.

            Este ano de 2015 a Igreja propõe para o Mês da Bíblia (Setembro) a leitura, meditação e estudo do evangelho de João. O pano de fundo para esta proposta de leitura é o discipulado e a missão na perspectiva do Projeto de Evangelização “O Brasil na missão continental” – projeto esse que nos põe toda a Igreja em estado de missão segundo a realidade e contexto atual onde a mesma está inserida. Diante das intempéries da sociedade e um “Jesus” água com açúcar que tem muito por aí, como Igreja, somos interpelados a dar testemunho de Jesus de [ Continue lendo]

O Apocalipse ontem e hoje.

O livro do Apocalipse enquanto paradigma (referencia) serve-nos de inspiração e esperança em meio as perseguições quando se trata da fidelidade a Jesus de Nazaré. Não é tanto pelo seu conteúdo “profecia” para o “futuro”, não, não se trata disso. É que, como foi escrito em contexto de perseguição e para os perseguidos, ele alimenta aquele espirito cuja vida somos levados a assumir até as últimas consequências quando se trata do seguimento e testemunho de Jesus, em meio a situações adversas de injustiças e opressão, e de supressão do direito à vida e a dignidade [ Continue lendo]

Creio em Jesus Cristo.

            Neste artigo queremos nos dirigir a você que busca algo básico sobre o “conhecimento de Jesus Cristo” como nos diz o apostolo Paulo. De fato, Jesus é de Deus, a segunda Pessoa da Santíssima Trindade. Dele nos fala muitos textos das Sagradas Escrituras.  Para uma pessoa que está em busca de o conhecer mais, de modo que deseja dá o seu sim por toda vida, dando testemunho de Jesus, é preciso que saiba pelo menos, o mínimo sobre Ele. Principalmente se você está  se preparando para receber o Sacramento da Crisma. Hoje, são muitas as pessoas que sabem da vida [ Continue lendo]
1 2 3