Novidades

Os ensinamentos de Jesus

Jesus é Mestre. Todos os textos bíblicos mostram isso. Ele ensinou, sabe ensinar e ensina com autoridade. Não fez faculdade, não fez o curso do ensino médio, técnico ou científico, mas sabia e sabia que sabia. Muitos dos seus ouvintes se questionaram: “De onde vem tanta sabedoria?”. E mais, o que ensinava? Do que falava seus ensinamentos? A partir dos textos de Mateus 13,1-9; Marcos 7,14-23; Lucas 6,20-49, tecemos esse texto para o estudo sobre os ensinamentos de Jesus. Os ensinamentos de Jesus Jesus andou no meio do povo fazendo o bem. Curou a muitos, perdoou pecados, [ Continue lendo]

Os discípulos e discípulas de Jesus

Os discípulos e discípulas de Jesus foram pessoas do povo que também como o povo esperavam o Reino de Deus e seu Messias. De algum modo todos foram chamados por Jesus e responderam o seu sim por acreditar que nele havia algo de Deus. De fato, não o sabiam explicar mas era forte sua intuição a respeito do Nazareno. Partindo dos textos de Mateus 4,18-22; Marcos 3,13-19; Lucas 8, 1-3; 10, 1-11; e João 1,35-51 tecemos esse comentário vocacional e testemunho de fé. Os discípulos e discípulas de Jesus Jesus prega o reino de Deus no meio do povo. Isso é evangelho – boa notícia. [ Continue lendo]

Conselho Pastoral Paroquial

O texto a seguir quer ser uma reflexão para ajudar o Conselho (CPP) e os conselheiros de nossas comunidades sobre sua importância e função. O papel do Conselho Paroquial O Conselho Pastoral Paroquial tem uma importância muito grande pelo fato de ser a representatividade de todo o corpo da Igreja. Através do Conselho se concretiza a participação e a comunhão dos grupos, movimentos e pastorais. Entretanto, o CPP não é uma democracia e sim um grupo que por sua natureza obedece regras hierárquicas da Igreja. O CPP existe para fazer essas regras funcionarem e para harmonizar a vida da [ Continue lendo]

A pregação de Jesus

A pregação de Jesus foi o início de um novo tempo. O que Jesus prega? Para quem? Como reagiram os seus contemporâneos? A partir dos textos de Marcos 1, 14-15.21-22; Lucas 4,16-24; Mateus 4, 23-25, tecemos esse texto para estudo dos grupos de jovens, de crisma e evangelização. A pregação de Jesus Jesus prega ao povo, lhe tem algo a dizer. Como vimos nos textos acima, ele depois de ter recebido o batismo de João, ter escutado o profeta, ter se preparado para a missão, com a força do Espírito começou a pregar ao povo. E sua pregação é simples: “Cumpriu-se o tempo e o Reino de [ Continue lendo]

João Batista

Com esse texto tecemos algumas informações e uma reflexão sobre o profeta João Batista primo de Jesus. A partir dos textos de Marcos 1,4-8; Mateus 3,1-12; e João 1,19-28. Nosso estudo se destina sobretudo para os jovens que estão se preparando para a Crisma, grupos de evangelização, rezas nas casas, etc. Quem foi João Batista? Qual a sua relação com Jesus? O que o Mestre disse de João? Eis nosso estudo. João Batista O povo de Israel é um povo de profetas. Profetas foram homens e mulheres que durante o período do reinado no Antigo Testamento Deus suscitou para orientar o povo, [ Continue lendo]

A sociedade da época de Jesus

Tendo Lucas 3,1-2 como “pano de fundo” em nosso segundo texto da série de estudos bíblicos para grupos de crisma, de jovens, de círculos bíblicos e rezas nas famílias, tecemos o tema da sociedade na época de Jesus. Como viviam, como compreendia os tempos de Deus que estava por vir? Como Jesus compreendeu esse momento? Eis o queremos refletir nesse texto. A Sociedade da época de Jesus             Jesus viveu numa sociedade. A sociedade é a forma como o povo se organiza e vive seus destinos. Na sociedade do tempo de Jesus havia grupos políticos e religiosos; [ Continue lendo]

O povo de Deus

Tendo por base os textos de Deuteronômio 7,6-10 e 1.Pedro 2,9-10 tecemos nesse artigo essa pequena reflexão de estudo sobre o povo de Deus. O texto que segue sugiro como utilização sobretudo para grupos iniciantes de crisma, estudos bíblicos, grupos de rezas nas famílias, etc. O Povo de Deus           O “povo de Deus” é uma expressão que designa tanto o povo de Israel bíblico como os cristãos de todos os tempos.             Quem é esse povo? Como se faz para pertencer a ele? Qual a sua identidade e missão?             O povo de Israel tem como [ Continue lendo]

Os irmãos de Jesus

            Jesus teve irmãos? O que nos diz os textos bíblicos? Como o entenderam a tradição eclesial posterior?             No Novo Testamento a palavra “irmãos” tanto tem conotação com “parentesco” consanguíneo; como conotação “social” ligado a clã, tribo, nação. E Jesus mesmo estende o substantivo irmão para o grupo de seus seguidores, dando a entender que são irmãos de “ideal de vida”. Assim, por exemplo, os cristãos são chamados de irmãos cerca de cento e sessenta vezes em todo o Novo Testamento.             Mas, no que [ Continue lendo]

Profeta

            Os profetas bíblicos foram homens e mulheres dedicados/as a Deus no serviço da profecia. Ela é entendida como um apelo para voltar às fontes que deram origem ao povo e sua fé: a Aliança. A confiança exclusiva em Deus e seu projeto; e é por causa dessa fé exclusiva que a profecia também é denúncia da não vivencia da aliança (o julgamento); e anúncio da justiça e da misericórdia de Deus (a salvação).             Esses homens e mulheres vocacionados viveram no final do período tribal; no contexto do reinado; e depois dele, até em meados do [ Continue lendo]

A conjuntura atual do Brasil e a posição da Igreja

A Igreja e a atual conjuntura nacional. “Hoje a política eclesiástica recomenda o silêncio”. Entrevista especial com Pedro Ribeiro de Oliveira A crise política brasileira é, de acordo com a avaliação de Pedro Ribeiro de Oliveira, “a segunda tentativa de encerrar o projeto desenvolvimentista brasileiro e reforçar a dependência neocolonial” do Brasil. Isso é perceptível, frisa, a partir do “realinhamento da América do Sul aos objetivos geopolíticos dos EUA”. Na entrevista a seguir, concedida por e-mail à IHU On-Line, o sociólogo também compara a atuação da [ Continue lendo]

Jesus, sentido de vida

            Nascemos, crescemos, vivemos e moremos. É essa a sentença que em determinado momento de sua vida você recebeu e aprendeu provavelmente na educação escolar. Mas, para nós cristãos ela soa dura, inflexível, sem sentido, caduca. É o mesmo que dizer que a vida não tem sentido. Não é à toa que há muitas vidas sem sentido e vazias buscando ser preenchidas. E encontram em “ilusões” algo para a preencher, mas acaba cedo ou tarde, se dando conta de que não passou de pura ilusão. E você? Durante toda a sua infância você recebeu amor, proteção, [ Continue lendo]

Os rumos da Igreja: Perspectivas

Entrevista com Dom Angélico Sândalo Bernardino sobre variados temas da atualidade que questiona a Igreja e a fé. Ele nos fala das perspectivas da Igreja em seu atual contexto. É uma bela informação e formação com maturidade e beleza que dá gosto [ Continue lendo]

komboskini: Um típico cordão de oração de 100 nós

Um cordão de oração (komboskini em grego, chotki em russo,) é um laço de nós, geralmente feito de lã, mas às vezes de madeira, que é usado para manter a contagem do número de orações que foram ditas. Normalmente é usado com a Oração de Jesus: «Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tem piedade de mim, um pecador». Historicamente o cordão típico tem 100 nós, embora os cordões de oração com 300, 50 ou 33 nós ou, menos comumente, 250 ou 12, também podem ser encontrados em uso, hoje em dia. Há tipicamente uma cruz nodosa em uma extremidade e algumas contas em certos [ Continue lendo]

Erros e Pecados

Cometemos muitos erros, é verdade. Mas, os erros que na vida cometemos os cometemos porque queríamos acertar, arriscando um caminho, uma opção, uma hipótese, construindo uma solução porque tínhamos a impressão de que acertaríamos; ou erramos por não saber, não conhecer e foi total inocência nossa; ou erramos porque fomos displicentes ou desejamos que fosse assim, por pura impulsividade sem medir as consequências de nossos atos. Erramos e erramos feio!             Com o nosso erro aprendemos que todo ele tem consequências. Umas leves, outras graves e outras [ Continue lendo]

Maria Madalena

Maria Madalena é objeto de atenção em nossos tempos. Numa livraria se pode encontrar vários livros que alegam expor “a verdade” sobre esta discípula do Senhor. Entretanto, as especulações sobre ela não passam de “meras especulações sem sentido”. Especialista sérios são de opinião que, Maria Madalena, segundo a Bíblia e a Tradição (mesmo as tradições marginais) tem em especial atenção, não pelo que se afirmam dela por aí, mas por sua dedicação, amor e serviço de discípula ao Senhor. As comunidades cristãs primitivas a tem como grande testemunha do Senhor e [ Continue lendo]

A oração dos Salmos

            Os Salmos são a oração do povo de Deus, por excelência. De que trata os salmos?  Da vida e da morte; do cotidiano; do trabalho; dos afazeres do lar; das lutas e derrotas; das conquistas e vitórias; do ódio e do amor; da vingança e da justiça; da injustiça e proteção; da esperança e da eternidade; do nascimento e do cuidado com a vida; com a natureza; do homem e da mulher; da criança, do jovem e do idoso; as dores e de Deus; das incertezas e da perenidade.             Não há nada da vida humana que não esteja contemplado nos salmos. Todo [ Continue lendo]

Olhar Sinótico: As mulheres no sepulcro

Por: Sebastião Catequista Nossa leitura da perícope das mulheres no sepulcro quando da morte do Senhor e sua ressurreição tem como demostrar a riqueza sinótica quanto aos fatos, numa releitura de fé. A ressurreição não constitui um fato nos moldes da concepção da história moderna e muitos menos se pode provar diretamente seus indícios, a não ser pela forma indireta com o olhar da fé. A ressurreição é um dado de fé que não é perceptível à razão e sim à fé, e essa mesma fé, interfere na história criando e recriando a história. Não é assim, por exemplo, a [ Continue lendo]

Olhar Sinótico: Transfiguração

Por: Sebastião Catequista O texto da transfiguração do Senhor na tradição de Mateus está ligado aos eventos anteriores, onde em diálogo com os discípulos, Jesus lhe fala das condições do seguimento, e do anúncio da paixão, o primeiro anúncio (Mt 16,21-23). Desse modo, a perícope estudada já de antemão dar uma ideia da mensagem: revelação de Jesus como o enviado de Deus e superador das tradições (lei e profecia) judaicas contemporânea ao mesmo tempo que cumpre o espirito da mesma. Então, o que vemos em Mateus? Mateus, já no início, assim com Marcos e Lucas, liga esta [ Continue lendo]

Olhar Sinótico: Primeira Multiplicação dos Pães

Texto: Bíblia Pastoral Online Por: Sebastião Catequista Os evangelhos Sinóticos têm em comum o episódio da multiplicação dos pães. Segundo Mateus e Marcos, há em seus escritos dois relatos do mesmo fato (Mt 14, 13-21 e 15,32-39; e Mc 6,30-44 e 8,1-10), porém, com olhares e enfoques diferentes, conforme a teologia de cada evangelista e o contexto eclesiológico de seus ouvintes e destinatários. Aqui, tecemos algumas notas de reflexão sobre o que comumente é conhecido como “primeira multiplicação dos pães”.             Em Mateus, após a prisão de João Batista [ Continue lendo]

Olhar sinótico: A vocação dos discípulos

             Por: Sebastião Catequista O relato do chamado dos discípulos nos evangelhos sinóticos (Mateus, Marcos e Lucas) não só conta a história de como os primeiros seguidores do Senhor começaram a segui-lo, mas também nos remete a realidade das comunidades para as quais foi escrito. No relato há claramente duas realidades simultâneas como testemunho e apelo para o leitor se decidir por Jesus. Aliás, quando o Senhor vem ao nosso encontro, não somos nós que O escolhemos, mas é Ele que toma a iniciativa, e nos escolhe por primeiro.             Para os [ Continue lendo]

Evangelhos Sinóticos

Por: Sebastião Catequista Introdução:               O que é “evangelho” e o que são os “evangelhos sinóticos”? Evangelho é uma palavra grega “euanggelion” que significa “boa notícia”, “boa nova”. “Evangelhos” de outro modo, no plural, designa os livros de Mateus, Marcos, Lucas e João. Entretanto, o termo “evangelhos sinóticos” designa apenas os evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas. São chamados assim, pelas semelhanças dos textos uns dos outros, mas que diferem pela sua teologia peculiar a cada evangelista. E sinótico? A palavra vem da [ Continue lendo]

Ôh! Noite santa e bendita em que nas trevas resplandece a luz!

A Igreja em todo mundo canta unida o seu Senhor nesta noite santa em que da morte Ele passou à vida. É páscoa do Senhor! Assim creem os cristãos, assim dão testemunho pelo mundo; e no cotidiano da vida nessa fé renovam as esperanças e têm forças para superar obstáculos e desafios, porque o Senhor da vida é nossa Vitória. Nesta noite Santa, céus e terra se encontram numa linda poesia cantando a vida em seu sentido e significado mais profundo para a Existência. Nesta Noite Santa, fazemos memória da páscoa judaica e cristã de Jesus de Nazaré, o Cristo Senhor, o crucificado [ Continue lendo]

Misericórdia como estilo de vida

Reproduzimo o texto do Padre Aldo Fernandes, da Diocese de Bragança-PA, sobre a Misericórdia.  Por: Pe. Aldo Fernandes.             Etimologicamente a palavra misericórdia se compõe de miser (miséria) + corde (coração). Isto significa sentir com o coração os sofrimentos e as dores de alguém que sofre suas misérias. Refletir sobre a Misericórdia nos fascina com apelo vocacional e missionário: assim como Deus tem misericórdia, tem pena de nós, por sermos fracos e pecadores, igualmente deve ser nossa atitude com relação aos nossos irmãos, em especial os mais fracos. [ Continue lendo]

Oração: um caminho, uma tradição.

A oração é uma necessidade da alma. Assim como o corpo necessita de alimento para sua sobrevivência, do mesmo modo a alma precisa da oração.             Pela oração a vida se torna suportável quando os conflitos, decepções e dores do cotidiano aparecem. Orar é um ato de fé, mas também de humildade e esperança – porque expomos nossas fraquezas, nossa pobreza, limitações e utopias.             Ao orar não estamos sós, mas pelo contrário estamos em intima comunhão conosco mesmos e com a suprema divindade. Por isso, a oração é sempre comunhão e [ Continue lendo]

O mundo que eu quis

Em tempos de Campanha da Fraternidade: Casa Comum – nossa responsabilidade – compartilhamos esse vídeo que em muito pode nos inspirar bons encontros e reflexões na catequese, nos encontros de jovens, etc.   O mundo que eu quis Não é esta aí a natureza que eu quis, que tomba indefesa, perdendo a beleza, trazendo a tristeza na terra que eu fiz. Não é esta aí a terra que eu quis, desfeita em pedaços por grandes ricaços, por mãos criminosas do homem que eu fiz. Não é este aí o homem que eu quis, que vive oprimido, que anda perdido, que cai abatido no mundo que eu [ Continue lendo]

Antigênesis

Nesse tempo da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016, repassamos a vocês o texto publicado pelo site do CESEEP. É um texto excelente para trabalhar na Catequese, grupos de jovens, movimento de evangelização, momentos de espiritualidade, grupos de reflexão e debate, etc. Leia, curta, recomende. Boa meditação. “…Ao final dos tempos existia a terra, rica e formosa. O ser humano viveu nos campos e nas pradarias com as árvores da terra. Disse: ‘Façamos nossas residências nestes lugares tão bonitos’ E construiu, pois, cidades de cimento armado e de aço. E as pradarias [ Continue lendo]
1 2 3 8