Novidades

espiritualidade

A Missa: motivações

Por: Sebastião Catequista Todos sabem que a Missa é uma celebração cujo ritual com sua rica simbologia constitui um ato litúrgico de fé da Igreja. Na Missa, celebramos a vida, a morte e a ressurreição de Jesus, o Senhor vivo e ressuscitado. Ele que está presente na vida do seu povo, se faz presença de fé também nesta celebração. Aliás, a Missa é o encontro do povo com Deus, de Deus com o povo. Dos cristãos com o seu Senhor. É um encontro especial, orante, onde a oração tem seus efeitos na vida pessoal e comunitária dos fiéis. Mas, se compreendemos a Missa assim, como [ Continue lendo]

Jesus, sentido de vida

            Nascemos, crescemos, vivemos e moremos. É essa a sentença que em determinado momento de sua vida você recebeu e aprendeu provavelmente na educação escolar. Mas, para nós cristãos ela soa dura, inflexível, sem sentido, caduca. É o mesmo que dizer que a vida não tem sentido. Não é à toa que há muitas vidas sem sentido e vazias buscando ser preenchidas. E encontram em “ilusões” algo para a preencher, mas acaba cedo ou tarde, se dando conta de que não passou de pura ilusão. E você? Durante toda a sua infância você recebeu amor, proteção, [ Continue lendo]

komboskini: Um típico cordão de oração de 100 nós

Um cordão de oração (komboskini em grego, chotki em russo,) é um laço de nós, geralmente feito de lã, mas às vezes de madeira, que é usado para manter a contagem do número de orações que foram ditas. Normalmente é usado com a Oração de Jesus: «Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tem piedade de mim, um pecador». Historicamente o cordão típico tem 100 nós, embora os cordões de oração com 300, 50 ou 33 nós ou, menos comumente, 250 ou 12, também podem ser encontrados em uso, hoje em dia. Há tipicamente uma cruz nodosa em uma extremidade e algumas contas em certos [ Continue lendo]

A oração dos Salmos

            Os Salmos são a oração do povo de Deus, por excelência. De que trata os salmos?  Da vida e da morte; do cotidiano; do trabalho; dos afazeres do lar; das lutas e derrotas; das conquistas e vitórias; do ódio e do amor; da vingança e da justiça; da injustiça e proteção; da esperança e da eternidade; do nascimento e do cuidado com a vida; com a natureza; do homem e da mulher; da criança, do jovem e do idoso; as dores e de Deus; das incertezas e da perenidade.             Não há nada da vida humana que não esteja contemplado nos salmos. Todo [ Continue lendo]

Oração: um caminho, uma tradição.

A oração é uma necessidade da alma. Assim como o corpo necessita de alimento para sua sobrevivência, do mesmo modo a alma precisa da oração.             Pela oração a vida se torna suportável quando os conflitos, decepções e dores do cotidiano aparecem. Orar é um ato de fé, mas também de humildade e esperança – porque expomos nossas fraquezas, nossa pobreza, limitações e utopias.             Ao orar não estamos sós, mas pelo contrário estamos em intima comunhão conosco mesmos e com a suprema divindade. Por isso, a oração é sempre comunhão e [ Continue lendo]

“Se encontrei graças aos teus olhos…concede-me a vida e a vida do meu povo”

Amigo internauta lendo a passagem de Ester 7,3 e 8,6 que diz: “Se realmente encontrei graça a teu olhos, ó rei, respondeu-lhe a rainha Ester, e se for de teu agrado, concede-me a vida, eis o meu pedido, e a vida do meu povo, eis o meu desejo. Como poderia eu ver meu povo na desgraça que vai atingi-lo? Como poderia eu ser testemunha do extermínio da minha parentela?” me levou a refletir sobre Maria mãe, no seguinte aspecto, cuja leitura acima pode ser muito bem aplicada à Ela, haja vista ser a boa Mãe, de status singular e maior que o de Ester: mãe de Jesus, mãe de Deus! De que [ Continue lendo]

Maria, a intercessora.

É sabido por todos que Maria, mãe de Jesus, tem fama de milagreira e intercessora. Basta ver os santuários, aparições, e testemunhas de seus filhos mais devotos, alguns inclusive bem exagerados nesse quesito. Mas, quem não o seria? Também muitos de nós, religiosos ou não, somos excessivamente exagerados ao ponto de cometer o cumulo de atitudes algumas das mais sem sentido para não falar bizarra e estupidas com nossos ídolos atores de cinema, novelas, e cantores populares dos mais diversos ritmos da música e cultura brasileira. O dito pelo não dito, todos temos lá nossos [ Continue lendo]

Uma mulher, uma criança e o dragão.

Amigos internautas, hoje, nossa reflexão e contemplação tem como texto bíblico o Apocalipse 12. A história é conhecida: uma mulher gravida, um dragão a lhe perseguir, uma ajuda do céu através do anjo, a derrota do dragão e a proteção da mulher, etc.             Durante muito tempo essa mulher foi identificada com Maria, Nossa Senhora. Mas, se olharmos bem, e consultarmos a teologia bíblica e as recentes pesquisas veremos que não. Como assim?             O texto segunda uma exegese séria, mostrará que, o texto é uma releitura do capítulo 3 do livro de [ Continue lendo]

Lectio Divina – I: História.

            A “Lectio Divina” é uma expressão usada para designar uma prática antiga da Igreja: a Leitura Orante da Bíblia. Essa prática consiste, sobretudo, em quatro elementos, a saber: a leitura, a meditação, a oração e a contemplação. Por esse caminho experienciamos a partir da leitura e do seu confronto com a vida, a presença e a ação de Deus. Não é algo mágico, muito menos intelectivo ou uma ideia, ou mesmo até algo de extraordinário e sobrenatural, não, não, não. Mas, é algo muito simples, singelo, profundo e mistagógico. Ou seja, aprendemos a [ Continue lendo]

Lectio Divina – II: Como praticar.

             São Cipriano de Cartago aconselhava a Donato: “Sê assíduo tanto à oração como a leitura. Ora falas tu com Deus, ora fala Deus contigo” (Ad Donatum, 15).             Santo Ambrósio de Milão escreve: “A Deus falamos quando oramos, a Deus escutamos quando lemos suas palavras.” (De Afficiius Ministrorum, 1,20,88).             A lista de testemunhas sobre a Lectio Divina é extensa. Mas, na prática como se faz a Lectio Divina? De que é composta?  Basicamente ela é composta de quatros elementos: leitura, meditação, oração e [ Continue lendo]

Salmos

O livro dos Salmos é uma coletânea de 150 salmos organizados em cinco partes de modo a imitar o Pentateuco. Se no Pentateuco, está a Lei em sua história e sentenças, nos Salmos ela se apresenta-nos em forma de oração de louvores, adoração, súplica, ação de graças, memória da história, liturgia e meditação.             Mas, o que significa a palavra salmos? Quem são seus autores? E porque de duas numerações em seus capítulos? E como fazer uso pessoal e comunitário dos mesmos? Vamos por parte.             A Igreja utiliza os Salmos desde as suas [ Continue lendo]

A Prática da Invocação do Nome

Continuação do artigo anterior: A Forma de Invocação  do Nome. “Esperarei em teu Nome” (SI 52,9) 6. A invocação do Nome pode ser praticada em qualquer lugar e a qualquer momento. Podemos pronunciar o Nome de Jesus nas ruas, no local de nosso trabalho, em nosso quarto, na Igreja etc. Podemos repetir o Nome enquanto andamos. Além do uso livre do Nome, não determinado ou limitado por alguma regra, parece-nos indicado consagrar certos momentos e locais à invocação “regular” do Nome. Quem estiver adiantado nesta forma de oração pode prescindir de tais [ Continue lendo]

A Forma da Invocação do Nome

“Jacó perguntou-lhe: ‘Revela-me, por favor, teu Nome’. E ele disse: ‘Por que perguntas pelo meu Nome?’ E ali mesmo o abençoou” (Gn 32,29). Podemos invocar o Nome de Jesus em diversos contextos. Cada pessoa há de encontrar a forma mais apropriada à sua oração individual. Contudo, qualquer que seja a forma usada, o coração e o centro da invocação devem ser o próprio santo Nome, a palavra Jesus. Aí reside toda a força da invocação. O Nome de Jesus tanto pode ser invocado sozinho como estar inserido em uma frase mais ou menos desenvolvida. No [ Continue lendo]

Deus, Deus, Deus!

Quando a angustia bater à porta… Deus, Deus, Deus! Quando o vazio sorrateiro chegar… Deus, Deus, Deus! Quando os erros me sufocar… Deus, Deus, Deus! Quando a solidão perto de mim se achegar… Deus, Deus, Deus! Quando o mundo agitado está… Deus, Deus, Deus! Quando a dor me consome a gritar… Deus, Deus, Deus! Quando a dívida à sobrevivência me cobrar… Deus, Deus, Deus! Quando o dia é noite escura e a noite é dia… Deus, Deus, Deus! Quando aflito, inseguro e com medo estiver… Deus, Deus, Deus! Quando o trabalho é prazer ou me cansado [ Continue lendo]

Espiritualidade e Capitalismo

Em artigos anteriores, falando de espiritualidade de modo geral ao mesmo tempo em que tecemos algumas linhas de reflexão e conceituação da mesma, insinuamos sua utilização por parte da ideologia capitalista nos mais diversos elementos que o constitui e de modo prático, na veia arterial do mesmo, o mercado. Naquela ocasião dizíamos que já existem empresas que usam da espiritualidade para conquistar suas metas e objetivos. Isso não é de hoje. Se olharmos séculos atrás, quem conhece história sabe, o capitalismo teve o avanço e o vulto que tomou, graças ao movimento e a ética [ Continue lendo]

Espiritualidade Cristã

            Quando se fala de espiritualidade cristã, deve-se levar em conta que, a simples menção “cristã” abre um leque muito grande, pois, nesse termo está contido não um caminho ou uma tradição única, mas vários caminhos e tradições com identidade própria, precisa e peculiar. O cristianismo é plural e multifacetário: romano, ortodoxo, evangélico, crente, seitas, etc. Cada tradição e caminho tem sua riqueza singular e muito diversificada.             Falar, pois, de espiritualidade cristã temos que ter diante dos olhos esse leque de riquezas e [ Continue lendo]

Espiritualidade-II

Em artigo anterior, introduzíamos o assunto, espiritualidade. Naquela ocasião deixamos no ar alguns questionamentos com os quais tencionávamos dar prosseguimento ao nosso diálogo partilhando com você algumas impressões. Vejamos.             O que é espiritualidade? Eis o nosso artigo presente.             Espiritualidade é algo que tem haver com tudo e com todos. Mesmo que muitas pessoas sejam religiosas, outras não, e outras mais tenham lá suas convicções, espiritualidade tem haver com tudo e com todos. Ela é inerente às suas preferencias e convicções, [ Continue lendo]

A capacidade de admirar

            O ser humano tem capacidades e qualidades das quais, uma delas é a capacidade da admiração, de admirar. A capacidade de se deixar envolver e de expressar ternura, causando-lhe emoções e sentimentos nobres.             Em séculos remotos essa capacidade de se admirar, de se encantar, despontava em um conjunto de expressões com as quais se emitia um juízo: Lindas poesias, obras de artes, frases, pensamentos, musicas, desenhos etc. essas coisas foram frutos que nasceram dessa capacidade de que falamos.             Hoje, cada vez mais, se não [ Continue lendo]

Espiritualidade – I

            Espiritualidade é uma palavra cujo conteúdo e realidade a que se remete é densa e susceptível de variadas leituras e perspectivas. Como nos diz Leonardo Boff, “Todo ponto de vista, é vista de um ponto”, pois, bem, parafraseando-o podemos aplicar tal pensamento a espiritualidade.             Dependendo da fé que se professa, que se crer, que se abraça, levando em consideração que homens e mulheres são seres naturalmente religiosos, a espiritualidade pode ser vista a partir do contexto religiosos específico ou de modo mais amplo. Praticas [ Continue lendo]

A Espiritualidade do Santo Nome

            “E ele se pôs a gritar: “Jesus, filho de Davi, tem compaixão de mim!” Lc 18,38.             Quando se fala de espiritualidade, vem à mente aqueles movimentos cuja origem está ligada a um conjunto de doutrinas e praticas orantes,  derivados de líderes espirituais do passado, cuja vida no seguimento a Jesus foi para seu tempo uma luz; e que se tornaram para as gerações posteriores modelos de santidade, de religiosos e de seguidores do mestre de Nazaré. Dessa forma, temos, por exemplo, na igreja católica diversos movimentos espirituais derivados das [ Continue lendo]

Lucas, 10, 38-42: Marta e Maria

No evangelho de Lucas, 10, 38-42, temos o episódio em que Jesus se encontra com Marta e Maria em casa de ambas. Marta atarefada pede que o Senhor repreenda a Maria que o escutando a seus pés, deixa a irmã com os afazeres domésticos. Esse, porém, lhe dirige a palavra enfatizando que Maria nesse momento estaria livre, pois, com a melhor parte, enquanto Marta deveria continuar executando a tarefa que a si lhe havia imposto. Essa leitura é de difícil interpretação e que, durante séculos serviu tanto para o Ocidente quanto para o Oriente de argumentação, quando não muito, [ Continue lendo]

Retiro. O que é e como fazer?

 Por Maria do Socorro Santos O Retiro é o momento em que paramos, deixamos o corre-corre do dia a dia, momento de saída para refletir sobre nós mesmos, a nossa condição de vida. Como estou vivendo? Como está a minha vida? Quais são as minhas motivações e planos? Como estou agindo? É um momento em que saímos do barulho do mundo agitado para ficarmos a sós e com Deus. Trata-se de um momento de intensa e profunda intimidade conosco e com Deus. É um espaço de avaliação, de oração, de meditação e contemplação.            Retiro é também um profundo silenciar para [ Continue lendo]