Novidades

formação

As primeiras comunidades cristãs

Jesus ressuscitou, enviou o Espírito Santo e agora é a hora e a vez das testemunhas. Ao redor dos “ditos” e da “memória” de Jesus sob orientação dos discípulos, com um olhar nas Escrituras do Primeiro Testamento e outro nos Acontecimentos a Igreja vai tomando forma, escutando o que o Espírito diz as comunidades nascentes, vão pregando, evangelizando, catequizando. A partir das leituras dos  Atos 2,42-47;  4,32-35 e 10 [34-48] tecemos a última reflexão do nosso estudo dos Evangelhos e Atos, para os grupos de evangelização, crisma e grupos de jovens. As primeiras [ Continue lendo]

Pentecostes: Recebei o Espirito Santo

Jesus ressuscitou, apareceu aos discípulos, dá-lhes instruções, sobe aos céus e, eles se preparam para o próximo evento que há de vir. Assim, partindo dos textos de João 7,37-39; 14, 14-17.24-28 e Atos 2, 1-21, tecemos essa reflexão sobre o Espírito Santo e os inícios da Igreja. Pentecostes: Recebei o Espirito Santo Contextualização             Jesus promete o Espirito Santo (cf. Jo 14, 16). O Espirito sempre esteve com Jesus (cf. Lc 4,16) e ele nos dá a nós discípulos seus.             Qual a função do Espirito Santo na vida do crente? Segundo João [ Continue lendo]

A ressurreição de Jesus

A ressurreição de Jesus é o ato fundante da fé cristã. A partir dos textos de Marcos 16, 1-8; Lucas 24,13-35; 1Coríntios 15,1-28. Tecemos essas linhas de reflexão para os grupos de jovens, de crisma, de evangelização, de círculos bíblicos, aprofundarem o tema. A ressurreição de Jesus Contextualizando             A ressurreição de Jesus é um dado de fé. Jesus ressuscitou – essa é a afirmação convicta da fé cristã. Através da ressurreição de Jesus podemos compreender o sentido da vida que Ele é.             Na história humana não há [ Continue lendo]

A morte de Jesus

A morte de Jesus na ótica da fé é redentora e salvadora. Olhando pelo contexto histórico foi assassinato e testemunho. Mas, porque Jesus morreu, se nos Atos dos Apóstolos (2, 22s) nos diz que ele viveu fazendo o bem? A quem importaria sua morte? Que forças estariam conspirando sua morte e porque? A partir da leitura dos textos de Mateus 15,20b-39;  João 19,28-42;  Atos 2,22-24 tecemos essas linhas de estudo e oração para os grupos de catequese de jovens, adultos e círculos bíblicos. A morte de Jesus Contextualizando             Jesus morreu relativamente jovem, com 33 [ Continue lendo]

A perseguição a Jesus

A morte de Jesus é redentora, salvadora, nos diz a fé cristã, mas por outro lado, a causa que defendia o levou ao martírio. Ele foi assassinado. Porém, Deus não deixa impune a morte do Justo. Nesse texto, a partir das intuições e testemunho do Evangelho e Marcos nos capítulos e versículos: 2,15-17;  11, 15-19;  12,38-40, tecemos nossa reflexão e estudos para você e os grupos populares de evangelização e catequese de nossas comunidades. A perseguição a Jesus Durante todo seu ministério Jesus prega, ensina, cura e perdoa os pecados. A sua fama se espalhou de maneira tal que [ Continue lendo]

Catequista de ocasião

Por: Sebastião Catequista A catequese é a educação da fé. Isto é, a ação da Igreja para que o fiel adquira o desenvolvimento pleno da fé que professa. É o conjunto de ações que permite dentro de um processo, o fiel conhecer, aprofundar, amar, viver, celebrar e testemunhar a fé professada pela Igreja. O catequista é aquela pessoa que, identificada com essa ação, por força do batismo e pela necessidade da Igreja, assume essa tarefa de forma permanente ou temporária em sua comunidade. Assim, o DNC (Diretório Nacional de Catequese) em seus parágrafos 237; 241 a 245, identifica [ Continue lendo]

A educação da fé

Por: Sebastião Catequista Todos nós sabemos que na Igreja a catequese é o processo pelo qual o cristão é educado na fé. A catequese é a educação da fé. Essa educação acontece mediante um processo pessoal e comunitário de modo sistemático progressivo, ordenado e permanente onde há assimilação de conteúdos (cf. DNC 233); vivência dos mesmos através dos momentos celebrativos; do engajamento em atividades eclesial; e o testemunho no mundo onde vivemos e convivemos (em casa, no trabalho, na escola, na praça, na rua…) fazendo assim, uma experiência concreta da fé que [ Continue lendo]

Pedagogia catequética: nossas práticas cotidianas

Por Sebastião Catequista Todo ano, nós que fazemos a Catequese planejamos, nos preparamos e damos início as atividades catequéticas junto aos nossos catequizandos. Em nossos planejamentos (re) elaboramos os temas e conteúdos de nossos encontros, passeios, momentos orantes, pensamos a vivência dos tempos fortes da vida eclesial e, nos preocupamos com alguns detalhes cotidianos: músicas, dinâmicas, material didático a serem usados, instrumentos que facilitam os trabalhos como por exemplo, os aparelhos modernos (iPhone, Smartphone, Tablet, projetor, TV, redes sociais), etc. Tudo isso é [ Continue lendo]

Os milagres de Jesus

Seguindo a série de nossos estudos para os grupos e movimentos, tecemos neste estudo uma reflexão e introdução ao carisma taumaturgo de Jesus. Ou seja, a partir dos textos de Lucas 11,14-21; Mateus 15, 29-31; e Marcos 5, 21-43, conheceremos o lado “milagreiro” de Jesus e o sentido de seus milagres. Os milagres de Jesus Jesus prega, ensina e cura. Jesus é lembrando no meio do povo pelas muitas curas que fez. O povo via em Jesus não uma espécie de “curandeiro”, mas uma presença benfazeja, uma presença profética com poderes curativos (cf. Lc 7,16). Ele é o “dedo de [ Continue lendo]

RICA – Rito da Iniciação Cristã de Adultos

            O RICA – Rito da Iniciação Cristã de Adultos – é o rito destinado à iniciação de adultos na vida cristã. Ele compreende tanto o tempo quanto as etapas e celebrações cujo objetivo é a recepção dos Sacramentos do Batismo, Confirmação e Eucaristia. Entretanto, esses não são ponto de chegada mas, de partida para uma vivencia da fé e da vida cristã.             Na execução do RICA existe um itinerário ou etapas. Passos a serem executados, a serem dados de modo pedagógico e que visa o conhecimento e a adesão do candidato à fé cristã e suas [ Continue lendo]

Reunião de pais e mestres?

É preocupação para os catequistas e coordenação de catequese a reunião com os pais dos catequizandos. Geralmente se tem a ideia de que é uma reunião como “reunião de pais mestres” colegial. Não é bem assim, uma reunião de catequistas com os pais dos seus catequizandos não é e nem deveria ser uma reunião de pais e mestres. Motivo: catequistas não são professores e nem dão “aula” de uma matéria singular. São, isso sim, facilitadores e pregadores da palavra. Suas reuniões não são aula (ainda que se dê a entender assim), mas encontro, onde o Senhor [ Continue lendo]

Curiosidades bíblica

Duração de tempo em que foi escrita a Bíblia: O processo de escrita da Bíblia passou mais de 1.000 anos. Sendo que 1.000 anos foram para o Primeiro Testamento e; 100 para o Segundo Testamento. Geralmente o processo aconteceu assim: o fato acontece; é transmitido de boca em boca por tradição oral; espalha-se por vários grupos e lugares diversos; é celebrado e só depois é fixado por [ Continue lendo]

Roteiro de Reuniões para Grupos de Jovens

Esse roteiro é para ajudar o grupo a dar início e pegar costume, criar uma rotina e saber o que fazer, durante as suas reuniões. Não é obrigado fazer tudo ou só do jeito que está aqui. Porém é necessário ter alguns elementos indispensáveis e até “obrigatório” nas reuniões, são eles: a oração inicial e final; um tema para ser debatido, estudando, refletido e depois fazer algo a partir dele; um momento de convivência (= conversas, gestos afetivos normal, humor, brincadeiras leves sem desagradar ninguém); atividades dentro ou fora da reunião. Isso é um mínimo que se [ Continue lendo]

Período dos Juízes e Reis: O projeto igualitário das tribos e o início da monarquia

A formação das tribos             A formação de Israel como povo, nasceu da experiência do Êxodo, seguida da posse da terra de Canaã. Essa experiência foi fruto de uma parceria entre Javé libertador e o povo oprimido. Ele fez uma Aliança com o povo: “Eu serei o teu Deus e tu serás o meu povo”. Na grande Assembléia de Siquém (Js 24) o povo celebra e assume a Aliança de Javé, fazendo memória do seu passado, quando Moisés conduzia com os anciãos, as mulheres e Josué o processo da libertação realizada por Javé. Em Siquém as tribos (12 Comunidades) assumiram [ Continue lendo]

Como faço para “Fazer um encontro de Catequese”?

 Volta e meia, nos encontros de formação dos catequistas, nos deparamos com perguntas onde está evidente uma questão pedagógica e metodológica: como fazer o encontro de catequese com os meus catequizandos? Dai, entendo que tanto os iniciantes como os veteranos têm dificuldades de aplicar o método de interação fé e vida, e desconhecem a prática do ensino. É claro que catequistas não são professores e não precisam necessariamente ter formação ou ser formado em pedagogia ou magistério, e nem deveriam, uma vez que, na catequese, apesar de haver transmissão de conhecimentos, [ Continue lendo]

Êxodo: fato histórico, relato de fé, constituição de um povo (introdução ao Êxodo)

            Os textos  do “êxodo” são textos escritos numa época em que os fatos já se tornaram uma “epopéia nacional” e que são frutos de uma releitura e experiência única: a salvação realizada por Javé. O fato histórico aconteceu numa escala de grau bem menor do que vemos em filmes e se diz por ai, dentro de uma leitura ao pé da letra. O que temos no livro sagrado é um testemunho de fé e interpretá-lo doutro modo é no mínimo faltar com a verdade e com respeito ao mesmo. O texto é fruto de sucessivas releituras em contextos diversos até chegar ao texto [ Continue lendo]

Como faço para entender a Bíblia?

Nos encontros bíblicos que acontecem por ai, volta e meia, sempre nos deparamos com alguém perguntando: como faço para entender a bíblia?  Aparentemente não é uma pergunta fácil de responder. É preciso um conjunto de informações, de conhecimentos de diversas áreas (cultural, histórico, linguístico, filosófico, teológico, hermenêutico, geográfico, antropológico, religioso…) da ciência, de métodos e passos a ser seguidos. Mas, tudo isso, a partir de um ponto de vista refinado, com outros objetivos próprios. Porém, todavia, entretanto, no contexto da vida cotidiana, [ Continue lendo]

O Catequista de Adulto e Sua formação pessoal.

            O catequista de adulto é um agente da Catequese e por conseqüência da Igreja. Então, quando ele fala, ensina, o faz em nome da Igreja. Ele não é catequista para si mesmo. Ele é catequista da Igreja. Seu ministério exerce por envio da Igreja. Por isso, por ela deve ser preparado para o ministério que exerce. Isto significa que, o catequista de adulto deve se preparar, conhecer a realidade do seu catequizando, deve conhecer o conteúdo com o qual trabalha e saber usá-lo, deve conhecer sua ferramenta de trabalho. Deve conhecer também as aspirações dos homens e [ Continue lendo]