Novidades

Catequese Renovada

            catequese3A catequese, hoje é um grande movimento missionário dentro da igreja, e tem como objetivo a educação da fé dos seus membros, melhorando a qualidade de vida cristã quanto ao que a igreja professa, celebra, testemunha e vive no mundo. E esse movimento tem sua razão de ser a partir da escuta da Palavra que no Cristo encontra seu fundamento.

            Por essa razão, aqui no Brasil, os nossos bispos  a denomina: Dimensão Bíblico-Catequética. Dimensão porque está em toda a igreja, está no sangue da igreja. A perpassa em toda a sua vida espiritual e pastoral; Bíblica porque da Bíblia vem a proclamação da Revelação que tem em Jesus de Nazaré sua culminância.

            Sendo dimensão, está em toda a igreja e na igreja toda, independe da presença de seus agentes promotores, mas enquanto ação visível ela acontece de modo concreto como ação pastoral através dos catequistas e da comunidade eclesial catequizadora. Aí temos seus aspectos “fisiológicos” que popularmente designam como “Pastoral”: pastoral da pré-eucaristia, primeira eucarística, pastoral da crisma, catequese de perseverança, culto infantil, etc.

            No século XX, o movimento catequético cresceu muito e contribuiu muito para uma nova realidade de vida eclesial. Frutos dessa contribuição estão presentes nos documentos que à ela e dela para a igreja, foram publicados. Esses documentos são: A Catequese Hoje; Diretório Geral de Catequese; Documento Catequese Renovada; Diretório Nacional de Catequese.

            Nesses documentos, a catequese; seu conteúdo; sua metodologia; seus catequistas; seus interlocutores; a realidade contemporânea; a comunidade eclesial; os meios e técnicas; as conquistas da ciência; a tradição e as verdades de fé foram analisados, valorizados, definidos e configurados de modo a nos proporcionar novo impulso nas realidades atuais, como também nos ajudam a traçar objetivos e metas conforme a realidade de cada comunidade eclesial em vista de uma melhor qualidade de vida cristã dos seus membros catequizados e catequizadores.

            Então, aprofundemos alguns elementos da catequese e da missão do catequista em seu perfil no contexto eclesial de nossa realidade.

A catequese:

            A catequese enquanto ferramenta pastoral da comunidade eclesial assim é definida:

Catequese:

  • É o ensino (transmissão) fundamental da fé;
  • É o aprendizado e aprofundamento das verdades reveladas;
  • É o aprofundamento da pessoa de Jesus e do projeto de Deus;
  • É o aprendizado da vivencia comunitária e eclesial da fé.

Dito assim, a catequese para acontecer na vida eclesial e na vida de seus ouvintes precisa de um processo de educação da fé.

Desse modo, a catequese é entendida num contexto mais amplo como: “Catequese – é a educação, permanente, progressiva, ordenada, sistemática, pessoal e comunitária da fé.”

Catequese – escuta, experimentar, experiencial;

Educação – aprendizado, assimilação;

Permanente – algo que não acaba, é contínuo, está sempre renovando, aperfeiçoando, (re) criando, é dinâmica;

Progressiva – é algo que está sempre progredindo, crescendo, amadurecendo;

Ordenada – é organizada quanto as etapas, tempos; situação de vida, idade, condicionamentos psicológicos e fases da vida;

Sistemática – é programada, tem roteiros, métodos, segue passo a passo os conteúdos, não atropela o momento anterior (ordenada);

Pessoal – é Eu. Sou eu na minha interioridade, em minha busca do sentido da vida. É a pessoa em si;

Comunitária – é a comunidade. Diz respeito a comunidade na minha vida e vice-versa.

A catequese definida, entendida como processo, precisa também possuir certas características que enquanto pastoral eclesial tem objetivos a conquistar. Por isso, que a catequese precisar ter e ser “bíblica, cristocêntrica, eclesiológica, litúrgica, espiritual, mistagógica, missionária, ecológica e social”.

Bíblica – que usa e está fundamentada na Bíblia. Ela é a ‘matéria’ prima da catequese;

Cristocêntrica  – que tenha Jesus, o Cristo, como centro. Seu conteúdo principal. Mas do que transmitir uma doutrina, a catequese anuncia uma pessoa e sua obra redentora, Jesus de Nazaré, o Cristo, Senhor;

Eclesiológica  – que é da Igreja. Que gera comunidade de fé, que integra a pessoa no Corpo Místico de Cristo;

Litúrgica  – que suscita a oração, encanto pelo mistério, comunhão com Deus e com o seu povo;

Espiritual – que anime as pessoas e comunidades na Esperança, na Fé e na Caridade; que possam viver sua interioridade de forma comprometida e verdadeira sendo presença no Mundo;

Mistagógica  – que encante-se com o mistério de Deus na vida; que o possa “ver” no cotidiano da vida e suscitar mística;

Missionária – que leva as pessoas a dar testemunho da fé e do compromisso com o Senhor e sua Igreja, sendo presença no mundo;

Ecológica  – que leva a uma integração com a natureza (cosmo) sendo ela, um elemento importante no mistério da revelação divina e ‘casa comum’ à vida de todos os seres inclusive a humana;

Social – que ajude as pessoas a se engajarem na Sociedade enquanto cidadãos que tem direitos e deveres, mas sobre tudo como agentes transformadores que lutam por uma qualidade de vida, pois para isso é que Jesus veio;

 Recursos pedagógicos e metodológicos:

            Ao exercitar seu ministério catequético, o catequista se depara com uma ampla possibilidade de material didático. São livros, CDs, DVDs, manual de catequese, cartazes, flanelogravuras, etc. Diante de tantos meios e recursos o que fazer? É importante dizer que, o primeiro e principal livro da catequese é a Bíblia. Logo, todos os livros e manuais tem sua importância enquanto portador de experiências outras, de cânticos, dinâmicas, explicações, contudo, eles são relativos, até porque retratam experiências locais que muitas vezes não vai de encontro a nossa realidade eclesial nordestina.

            Quanto a temas, roteiros, recursos pedagógicos, dependem muito da vivencia eclesial de uma realidade local. Deve-se levar em consideração a cultura do povo, o ritmo de vida paroquial, diocesano e comunitário da região.

            No que se refere à metodologia, é importante ressaltar que a catequese tem sua própria metodologia, o método de interação fé e vida que é – VER, ILUMINAR, AGIR, CELEBRAR. Nossos catequistas precisam conhecer e conhecer bem o uso desse método e como aplicá-lo as diversas realidades. O método com os recursos pedagógicos bem usados proporciona a catequese cumprir com seus objetivos vivenciando todos esses aspectos abordados acima, em nosso texto.

            É importante que o catequista saiba que seu trabalho é uma tarefa eclesial, não é algo de sim mesmo, mas da igreja. Quando exerce seu ministério o faz em nome da Igreja e nesse caso, o conteúdo apresentado em sua catequese deve ser aqueles conteúdos de fé conforme a Tradição viva, o Magistério e as Sagras Escrituras.

Conclusão

            A catequese enquanto dimensão é parte integrante da Igreja. Está na igreja e na igreja toda. Enquanto movimento pastoral missionário evangelizador renovado é recente, tem sua origem mais remota no Vaticano II. Enquanto ato de ensinar, educar, apreender conhecimentos vem desde os primórdios da igreja primitiva.

            É importante conhecer a história da catequese, pois, como catequistas, necessitamos saber onde estamos, o que fazemos, com quem trabalhamos e onde queremos chegar. Dessa forma podemos dar o melhor de cada um de nós, para uma melhor qualidade de vida cristã na igreja-comunidade onde vivemos e para o mundo.

Deixe uma resposta