Novidades

Da cepa brotou a rama.

            Caro amigo internauta, um canto popular de matriz católica romana ecoa no coração da igreja cujo som sai dos lábios dos féis cantarolando o Salvador a partir de Maria mãe.             Esse canto tem por base o texto de Isaías 11,1s: “do tronco de Jessé sairá um ramo, um broto nascerá de suas raízes” (Tradução da NBP – Paulus 2014). Nesse verso a piedade popular acertadamente canta: “Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor, da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador” e o que nos encanta nesse hino é o que está por trás do texto e [ Continue lendo]

Salmo 46: Vinde contemplar os prodígios de Deus!

            Caro amigo, hoje partilho com você o que o salmista nos diz: “Vinde ver, contemplai os prodígios de Deus, e a obra estupenda que fez no universo” (Sl 46, 9). Que obra é essa? Evidentemente você responderá: o próprio universo. Certo, mas em todo universo não há uma obra mais perfeita do que essa: Deus feito carne, feito gente! Isso é algo inaudito e foge aos padrões de qualquer religião ou qualquer outra coisa que depois de Deus venha existir. É revolucionário!!!             Falo do mistério da Encarnação (não confundir com [ Continue lendo]

“Se encontrei graças aos teus olhos…concede-me a vida e a vida do meu povo”

Amigo internauta lendo a passagem de Ester 7,3 e 8,6 que diz: “Se realmente encontrei graça a teu olhos, ó rei, respondeu-lhe a rainha Ester, e se for de teu agrado, concede-me a vida, eis o meu pedido, e a vida do meu povo, eis o meu desejo. Como poderia eu ver meu povo na desgraça que vai atingi-lo? Como poderia eu ser testemunha do extermínio da minha parentela?” me levou a refletir sobre Maria mãe, no seguinte aspecto, cuja leitura acima pode ser muito bem aplicada à Ela, haja vista ser a boa Mãe, de status singular e maior que o de Ester: mãe de Jesus, mãe de Deus! De que [ Continue lendo]

“Quem é essa que avança como aurora…”

Amigo internauta, no livro Cânticos dos Cânticos ou Cantares do Primeiro Testamento, no capítulo 6, verso 10 está escrito: “Quem é essa que surge como aurora, bela como a lua, brilhante como o sol e terrível como exército com bandeiras erguidas?” (Nova Bíblia Pastoral) e cuja interpretação e leitura cristã moderna, nós a aplicamos a Maria, mãe de Jesus. Sim, inclusive há um hino bem popular que, provavelmente você já o tenha escutado, traz essa realidade e sentimento que seus devotos e filhos cantarola vez outra.             De fato, olhando a história das [ Continue lendo]

Maria, a intercessora.

É sabido por todos que Maria, mãe de Jesus, tem fama de milagreira e intercessora. Basta ver os santuários, aparições, e testemunhas de seus filhos mais devotos, alguns inclusive bem exagerados nesse quesito. Mas, quem não o seria? Também muitos de nós, religiosos ou não, somos excessivamente exagerados ao ponto de cometer o cumulo de atitudes algumas das mais sem sentido para não falar bizarra e estupidas com nossos ídolos atores de cinema, novelas, e cantores populares dos mais diversos ritmos da música e cultura brasileira. O dito pelo não dito, todos temos lá nossos [ Continue lendo]

Uma mulher, uma criança e o dragão.

Amigos internautas, hoje, nossa reflexão e contemplação tem como texto bíblico o Apocalipse 12. A história é conhecida: uma mulher gravida, um dragão a lhe perseguir, uma ajuda do céu através do anjo, a derrota do dragão e a proteção da mulher, etc.             Durante muito tempo essa mulher foi identificada com Maria, Nossa Senhora. Mas, se olharmos bem, e consultarmos a teologia bíblica e as recentes pesquisas veremos que não. Como assim?             O texto segunda uma exegese séria, mostrará que, o texto é uma releitura do capítulo 3 do livro de [ Continue lendo]

Evangelho de São Mateus

Por: Narciso Neves de Farias, teólogo e biblista* Autor, Obra, data, Comunidades O texto foi escrito entre os anos 70-90. Segundo R. A. Monasterio, os evangelhos  são escritos anônimos que foram reunidos no início do II século. O título (kata) segundo  o evangelista Mateus vem da época em que os escritos foram reunidos, pois, inicialmente, os autores não deram nenhum título (p. 17, 2006).  O trabalho de transcrição e tradução do texto teve continuidade pelos séculos, dentro de um processo complexo de transmissão da tradição, chegando-se no século XVI a se deparar com [ Continue lendo]

Maria, esposa de José

Caro internauta, após alguns artigos sobre Maria, conforme os textos bíblicos e memória das primeiras comunidades cristãs, com este artigo, trago à contemplação dos olhos e sentidos a pessoa de José e sua relação com Maria. Dele, o texto bíblico nos dá testemunho do que ficou na memória das comunidades: um homem justo (Cf. Mateus 1-2; Lucas 2). No contexto da história de Maria narrada pelos evangelistas, sendo ela quase mãe solteira, engravidando antes do casamento, conforme as leis e costumes da época, o que significa dizer que José é justo? Justo é o judeu que cumpre a [ Continue lendo]

Maria: primeira cristã, mãe da Igreja: Quarto relato.

Caro internauta, começamos essa série de artigos sobre Nossa Senhora, contemplando os textos bíblicos que os primeiros cristãos e evangelistas conservaram de Maria, a mãe de Jesus, ouvinte e praticante da Palavra. Vimos em alguns textos evangélicos sua coragem, atitudes, sofrimento e sua fé; lemos como foi ouvinte, praticante, mãe e discípula fiel. Os primeiros cristão, e assim o entendeu os redatores dos evangelhos cujos textos citamos, que Maria estava repleta e cheia de graça, da graciosidade das bondades e amor de Deus. Entenderam que ela recebeu o maior título desde então, [ Continue lendo]

Maria, sofredora e solidária no sofrimento: Terceiro relato.

Caro internauta, amigo leitor, esse é o nosso terceiro artigo em que contemplando o texto bíblico sobre Maria, a mãe de Jesus, nossa querida Nossa Senhora, como é chamada carinhosamente pelo nosso povo, e com razão, me debruço sobre o terceiro retrato deixado pelas comunidades cristãs e registrado pelo evangelista João: Maria, sofredora e solidária com os que sofrem. Em Jo 19, 25-27, temos o retrato de Maria, que sendo mãe de Jesus sofre comovidamente por ser mãe, discípula ouvinte e praticante da Palavra de Deus, principalmente encarnada em Jesus, que naquele momento está na [ Continue lendo]

Maria Servidora: Segundo relato.

            Caro leitor e internauta, continuando nossa reflexão sobre Nossa Senhora dentro das Sagradas Escrituras no Segundo Testamento, o fazemos em quatro partes usando o termo “retratos” para designar o que a memória das comunidades conservou sobre nossa Senhora. Pois, bem, no artigo anterior falávamos do primeiro retrato conservado pelas comunidades: Maria mãe de Jesus, corajosa e cúmplices do plano de Deus com o seu Sim. Neste segundo retrato, o evangelista Lucas em 1,39-56, nos diz de Maria, mãe de Jesus: Ela é Servidora. Está atenda às necessidades das pessoas [ Continue lendo]

Maria, mãe de Jesus: Primeiro relato.

Caro leitor deste artigo e internauta, como o título diz, falo a você sobre Maria, não de qualquer Maria, mas de Maria mãe, mãe de Jesus e da Igreja. E para tal, me apego a Bíblia, e partilho com você alguns textos que a comunidade primitiva guardou de sua presença e ação quando entre nós esteve.             Esses textos nos dizem muito do que já no século primeiro, pensava os cristãos sobre ela e que testemunho deixaram para nós. Vejamos.             Em Lc 1, 26-38; temos dela um relato bem preciso. Nesse texto, a Maria é anunciada o plano de Deus e lhe [ Continue lendo]

Milagre

            Milagre é algo que supõe fé. Porém, falando de um ponto de vista das leis da física, milagre é reverter uma situação cujas leis universal seria impossível e verossímil. Entretanto é algo intrigante, constatado pela ciência moderna, porém, sem nenhuma explicação.             No caso da fé, do campo do sagrado, o milagre é possível e tem sua origem na Origem das origens: Deus. Deus mesmo é que de algum modo interfere nas leis universal e reverte uma situação de morte para uma situação de vida. Nada se sabe do porque e como isso acontece, [ Continue lendo]

Parábolas

             Parábolas são histórias, comparações. É um gênero, uma forma de contar algo, passar uma mensagem de modo simples e profundo para além da aparência do que está sendo contado, dito.             Jesus contou parábolas. Ele é por excelência o mestre das parábolas e suas parábolas falam da vida, do reino, do amor, do julgamento, da misericórdia, de Deus, da palavra, dos que rejeitam ou aceitam essa palavra. Elas são práticas, fáceis e de um significado profundo.             Para nossos internautas, crismandos e ouvintes dos cursos [ Continue lendo]

Razão, Vontade e Sentimentos

            A Razão define a personalidade humana enquanto ser pensante.             Durante séculos foi matizada como algo tipicamente masculino, próprio do mundo masculino. No ocidente definiu as relações, as relações de poder. O ser ontologicamente sempre foi definido pela Razão.             A Razão dá o equilíbrio ao Ser, define seus contornos, direciona, pesa e reinventa as consequências da plausibilidade e do incerto. Ela recria novas possibilidades. Pensa o Ser constantemente e permanentemente.             A Razão por sí é [ Continue lendo]

Lectio Divina – I: História.

            A “Lectio Divina” é uma expressão usada para designar uma prática antiga da Igreja: a Leitura Orante da Bíblia. Essa prática consiste, sobretudo, em quatro elementos, a saber: a leitura, a meditação, a oração e a contemplação. Por esse caminho experienciamos a partir da leitura e do seu confronto com a vida, a presença e a ação de Deus. Não é algo mágico, muito menos intelectivo ou uma ideia, ou mesmo até algo de extraordinário e sobrenatural, não, não, não. Mas, é algo muito simples, singelo, profundo e mistagógico. Ou seja, aprendemos a [ Continue lendo]

Lectio Divina – II: Como praticar.

             São Cipriano de Cartago aconselhava a Donato: “Sê assíduo tanto à oração como a leitura. Ora falas tu com Deus, ora fala Deus contigo” (Ad Donatum, 15).             Santo Ambrósio de Milão escreve: “A Deus falamos quando oramos, a Deus escutamos quando lemos suas palavras.” (De Afficiius Ministrorum, 1,20,88).             A lista de testemunhas sobre a Lectio Divina é extensa. Mas, na prática como se faz a Lectio Divina? De que é composta?  Basicamente ela é composta de quatros elementos: leitura, meditação, oração e [ Continue lendo]

1Rs 19,1-20: Elias e o encontro com Deus

Leitura: O que diz o texto? Após o combate de Elias com os profetas de Baal, a rainha Jezabel recebe do rei Acab a notícia de sua derrota no conflito com Elias. A rainha manda avisar ao profeta que Ele não terá mais tempo de vida. Elias ao receber a notícia foge para o deserto, para a montanha do Horeb. Em sua viagem, pára em Bersabéia para em seguida entrar deserto adentro. No caminho, cansado, pára junto ao pé de junípero. Entra em desespero e pede a morte. O cansaço o faz dormir, porém, um anjo lhe aparece e lhe dá pão por comida e água por bebida. Admoesta-o a continuar o [ Continue lendo]

Deus existe!

            Deus existe. Para muitas pessoas isso é um fato. Como se chegou a essa conclusão, os caminhos percorridos foram diversos. Alguns não foram isentos de crises e conflitos.             Hoje, quase a totalidade da humanidade crer nesse fato que por sua vez criou cultura, fundou povos e religiões.             A religião é uma forma de entrar em contato, estabelecer relações com Deus. Não é a única forma, mas reclama para si precedência e exclusividade. O homem a criou.             Somos mais de 4,5 milhões de pessoas que crendo, [ Continue lendo]

O movimento Gnóstico

            O cristianismo nascente enfrentou muitas adversidades em seu caminho. Muitos foram os desafios políticos, sociais, culturais, filosóficos e religiosos. O gnosticismo também foi um desses desafios.             Segundo alguns estudiosos, o gnosticismo era uma tendência cujas bases tinham elementos das religiões orientais e da mística helênica. O movimento gnóstico era uma reação quase que cultural contra os fundamentos das tradições religiosas pagãs do império, bem como também das tradições religiosas judaicas e cristãs. O chão dessa tendência [ Continue lendo]

Salmos

O livro dos Salmos é uma coletânea de 150 salmos organizados em cinco partes de modo a imitar o Pentateuco. Se no Pentateuco, está a Lei em sua história e sentenças, nos Salmos ela se apresenta-nos em forma de oração de louvores, adoração, súplica, ação de graças, memória da história, liturgia e meditação.             Mas, o que significa a palavra salmos? Quem são seus autores? E porque de duas numerações em seus capítulos? E como fazer uso pessoal e comunitário dos mesmos? Vamos por parte.             A Igreja utiliza os Salmos desde as suas [ Continue lendo]

Pentecostes: nascimento “oficial” da Igreja

A cada ano na liturgia de rito romano celebramos após cinquenta dias da páscoa a festa de pentecostes. Sua origem remonta às páginas do Primeiro Testamento, tem sua releitura no Segundo Testamento e nos recorda ainda agora nosso compromisso batismal e crismal com o Senhor, o crucificado vivente. Pentecostes no Primeiro Testamento: Pentecostes é uma palavra de origem grega cuja tradução é ‘cinquenta dias’. Pentecostes é no Primeiro Testamento a festa da Colheita (Ex, 23, 14s), também conhecida como festa das Semanas (Ex 34,22; Dt 16, 9-10). As comunidades judaicas celebravam a [ Continue lendo]

Noé

Os textos de Gênesis 6-9 nos relata a saga de Noé. O enredo é conhecido, por isso não há necessidade de sua narração. O que queremos é tecer algumas linhas de reflexão para proveito espiritual.            Primeiramente, situemos o texto no seu contexto. O texto é provavelmente do século V, a.C, escrito no período exílico ou após ele pelas comunidades exiladas; no texto, há duas tradições javista e sacerdotal, além da mão do redator final; nele está contido elementos e informações muito frágeis cujos elementos possivelmente é de releitura de tradições bem [ Continue lendo]

Como Deus ama?

            Como Deus ama? Qual a sua forma de amar? Em que consiste o fundamento desse amor?             Deus ama. Este fato por si só é desconcertante, mistérico e tão sem e com sentido que tudo o que se disser ainda é pouco ou quase nada, ao mesmo tempo que é inaudito e paradoxal.             Deus ama. E o fato de amar cria-nos a própria Existência do nada. Entretanto, em se tratando de Deus, o “nada” já constitui o instante da própria existência.             Deus ama. E porque ama devota ao objeto amado toda devoção; e seu [ Continue lendo]

Nova Bíblia Pastoral

            Este ano foi publicada a mais nova Bíblia católica com rosto latino-americano bem brasileiro se assim se pode falar. Estou falando da Nova Bíblia Pastoral.             Nova porque não é uma atualização da anterior e nem mesmo um reformulação, mas, como disse seus autores em sua apresentação, é uma nova edição, em todos os sentidos. E o que traz essa nova edição?             Após averiguar de modo eufórico, folhear suas páginas, ler notas, introduções, ver as configurações das seções, subseções, capítulos e versículos e [ Continue lendo]
1 2 3 4 5 6 9