Novidades

liberdade

Lc 4,18-19. O programa de Jesus – V: O espirito me ungiu para proclamar um ano de Graça do Senhor

Por: Padre Guilherme Gomes* “O Espirito me ungiu para (…) proclamar um ano de graça do Senhor” (Lc 4, 18). Que significa isso? Um ano de graças do Senhor quer dizer para nós que, uma vez acontecido tudo o que foi anunciado anteriormente, Deus fornece um tempo de total bonança. Ele escancara o coração dele para entregar tudo o que é bom para nós: Desde a graça santificante que implica o perdão de nossos pecados e a presença dele em nós, dando a força necessária para realizarmos de maneira plena tudo aquilo que Ele programou para cada um de nós. É mesmo um tempo de [ Continue lendo]

Amor e liberdade na vida a dois

celebração do Sacramento do Matrimônio – Direitos Reservado Por: Sebastião Catequista Toda tentativa de conceituar e falar do amor o limita de certo modo, como também revela sua riqueza e interioridade nas mais variadas situações. O mesmo se aplica a liberdade. Entretanto, nem por isso deixamos de falar sobre o amor e a liberdade. E aqui tecemos essa reflexão sobre o amor e a liberdade contextualizado na vida a dois. Comecemos pela liberdade… A liberdade é essencial à vida humana. Faz parte de sua constituição visceral. Com a liberdade podemos ser criativos, dinâmicos [ Continue lendo]

Olhar

           O corpo fala, tem sua linguagem corporal. E sua linguagem pode nos dizer muito de si mesmo, do seu estado de espirito, de sua saúde e humor. Ele também tem a capacidade de adaptação à ambiente e situações. Uma delas, por exemplo, é o que determina o seu olhar, o que mostra o olho. No mundo moderno o olhar é muito importante e o sistema global sabe disso, principalmente no seu lado comercial. O olhar desperta desejos, cria necessidades, alimenta sonhos. Com ele nasce a “escravidão”…             A “escravidão” pode estar associada a um [ Continue lendo]

Gênesis 3

            Esse capitulo 3 do Gênesis está provavelmente situado no contexto do período do rei Salomão, no século X a.C. Contudo sua redação e releitura situa-se no período do exílio no século VIII a.C.  Ele é de tradição Javista. Nele encontramos “por trás das palavras”  a situação do povo nas corvéias (escravidão) do grande rei. É uma releitura para responder as seguintes perguntas: De quem é a terra (éden)? Porque fomos expulsos dela? Quem nos enganou e nos fez quebrar a Aliança? Porque sofremos as conseqüências (hoje, longe de casa, violência, [ Continue lendo]

Êxodo: a travessia passo a passo, o caminho se faz!

“Êxodo significa saída. O tema do êxodo possui profundo sentido teológico, pois revela que o Senhor é o personagem central da história. Ele está presente nos acontecimentos como libertador que supera o poderoso concorrente, o faraó do Egito. Qual a época histórica do êxodo do Egito? Calcula-se que ele ocorreu por volta de 1250 a.C, durante o domínio do poderoso faraó Ramsés II que reinou por 67 anos. Houve, na verdade, vários êxodos. Um grupo foi expulso (cf. Ex 13,17), outros fugiram (cf. Ex 14,15). O êxodo do grupo que saiu sob liderança de Moisés foi o mais importante [ Continue lendo]

Êxodo: é preciso partir.

Êxodo significa saída. É partir de um lugar para outro. No caminho há desafios, descobertas, aprendizado, conquistas, esperanças; e uma nova forma de compreensão da vida. Na Bíblia, o êxodo é o grande movimento que faz sair da escravidão para a liberdade. Sair da “casa da escravidão” para a “terra que corre leite e mel”. Sua existência e força carregam um sentido teológico, muito mais que um apenas “sair de” e “entrar em”, denota algo profundamente axial e existencial. É mais que um movimento revolucionário, que meramente uma “escravidão”. Para a [ Continue lendo]

Gênesis de 1 a 11

            Os relatos de Gn 1 a 11 não constituem fatos “históricos”, mas são leituras da historia a partir da fé num contexto de exílio e choques culturais entre o povo de Israel e os povos do Oriente Antigo. Muitos cristãos infantilizados na sua percepção religiosa têm dificuldades para entender a “verdade” quando se deparar com uma leitura contextualizada desses textos, e reagem de modo grosseiro, meio que “protestante”, expondo-se ao ridículo.             Com clareza e abertura de coração meditemos nessas linhas, alguns traços da verdade [ Continue lendo]

Mateus 11, 25-30: A nova experiência de Deus

A religião judaica com seus ritos e preceitos e sua prática pelos grupos religiosos e políticos da época de Jesus deixava sobre o povo um fardo muito grande. Deus era contemplado sobre o prisma da Lei. E conforme o Código da Santidade (Lv 17-26,46) os pobres, os doentes, os estrangeiros, os profissionais das mais variadas atividades consideradas repugnante e impura juntamente com os pecadores, estavam distante dessa realidade e não podia se quer se aproximar do sagrado. Tal era a situação que perdurava sobre o povo que ele mesmo estigmatizado fazia a seu modo, sua pratica religiosa [ Continue lendo]

Gênesis 1

O texto de Gênesis 1, segundo a moderna exegese, foi composto por mãos sacerdotais com base nas culturas mais primigênias dos povos do Oriente Antigo. O texto foi tecido no contexto da fé e cultura politeísta em transição, cujo resultado desemboca na fé e tradição monoteísta. Seu enredo é de uma leitura fluente e expressa uma convicção que foi abalada apenas com as descobertas das ciências do século XVIII/XIX. Entretanto, a igreja, após muitos conflitos e contratempos chega a uma reflexão equilibrada e compatível com a reflexão [ Continue lendo]