Novidades

Jesus

Maria, sofredora e solidária no sofrimento: Terceiro relato.

Caro internauta, amigo leitor, esse é o nosso terceiro artigo em que contemplando o texto bíblico sobre Maria, a mãe de Jesus, nossa querida Nossa Senhora, como é chamada carinhosamente pelo nosso povo, e com razão, me debruço sobre o terceiro retrato deixado pelas comunidades cristãs e registrado pelo evangelista João: Maria, sofredora e solidária com os que sofrem. Em Jo 19, 25-27, temos o retrato de Maria, que sendo mãe de Jesus sofre comovidamente por ser mãe, discípula ouvinte e praticante da Palavra de Deus, principalmente encarnada em Jesus, que naquele momento está na [ Continue lendo]

Maria Servidora: Segundo relato.

            Caro leitor e internauta, continuando nossa reflexão sobre Nossa Senhora dentro das Sagradas Escrituras no Segundo Testamento, o fazemos em quatro partes usando o termo “retratos” para designar o que a memória das comunidades conservou sobre nossa Senhora. Pois, bem, no artigo anterior falávamos do primeiro retrato conservado pelas comunidades: Maria mãe de Jesus, corajosa e cúmplices do plano de Deus com o seu Sim. Neste segundo retrato, o evangelista Lucas em 1,39-56, nos diz de Maria, mãe de Jesus: Ela é Servidora. Está atenda às necessidades das pessoas [ Continue lendo]

Maria, mãe de Jesus: Primeiro relato.

Caro leitor deste artigo e internauta, como o título diz, falo a você sobre Maria, não de qualquer Maria, mas de Maria mãe, mãe de Jesus e da Igreja. E para tal, me apego a Bíblia, e partilho com você alguns textos que a comunidade primitiva guardou de sua presença e ação quando entre nós esteve.             Esses textos nos dizem muito do que já no século primeiro, pensava os cristãos sobre ela e que testemunho deixaram para nós. Vejamos.             Em Lc 1, 26-38; temos dela um relato bem preciso. Nesse texto, a Maria é anunciada o plano de Deus e lhe [ Continue lendo]

Milagre

            Milagre é algo que supõe fé. Porém, falando de um ponto de vista das leis da física, milagre é reverter uma situação cujas leis universal seria impossível e verossímil. Entretanto é algo intrigante, constatado pela ciência moderna, porém, sem nenhuma explicação.             No caso da fé, do campo do sagrado, o milagre é possível e tem sua origem na Origem das origens: Deus. Deus mesmo é que de algum modo interfere nas leis universal e reverte uma situação de morte para uma situação de vida. Nada se sabe do porque e como isso acontece, [ Continue lendo]

Parábolas

             Parábolas são histórias, comparações. É um gênero, uma forma de contar algo, passar uma mensagem de modo simples e profundo para além da aparência do que está sendo contado, dito.             Jesus contou parábolas. Ele é por excelência o mestre das parábolas e suas parábolas falam da vida, do reino, do amor, do julgamento, da misericórdia, de Deus, da palavra, dos que rejeitam ou aceitam essa palavra. Elas são práticas, fáceis e de um significado profundo.             Para nossos internautas, crismandos e ouvintes dos cursos [ Continue lendo]

Deus existe!

            Deus existe. Para muitas pessoas isso é um fato. Como se chegou a essa conclusão, os caminhos percorridos foram diversos. Alguns não foram isentos de crises e conflitos.             Hoje, quase a totalidade da humanidade crer nesse fato que por sua vez criou cultura, fundou povos e religiões.             A religião é uma forma de entrar em contato, estabelecer relações com Deus. Não é a única forma, mas reclama para si precedência e exclusividade. O homem a criou.             Somos mais de 4,5 milhões de pessoas que crendo, [ Continue lendo]

A morte de Jesus gera a caducidade da morte.

Que sentido tem a morte? Que sentido tem a morte de Jesus? A morte é a certeza de todo mortal, tanto quanto a vida. A qualidade, o significado e o sentido da vida só são possíveis saber, após tê-la vivido intensamente. Com Jesus foi assim. Por isso a morte caducou, e n’Ele ela não tem mais sentido. E por quê? Por que o seu amor a superou, a tornou caduca, sem sentido, porém, não sem função, ainda. E qual a sua função nesta vida terrena? Eternizar a vida, fazer a vida ser eterna. Eterna sob outro aspecto cujos sentidos humanos não conseguem captar em sua totalidade visto [ Continue lendo]

Ele está pra chegar!

Há muito e muito tempo que apregoam os profetas da ilusão que esse mundo, precisamente o nosso mundo, estaria caminhando para a destruição. Forças conspiram contra a vida planetária e os destinos da humanidade. Seria Deus? Há quem acredite que ele estaria por trás desses eventos. Seria isso sua justiça em ação, uma vez que nos deu oportunidades inclusive através da ação redentora de seu filho bendito de sermos salvos; e que é chegada a hora e não haverá como escapar. Eis o que diz ou crer aqueles que ceticamente se apoiam numa religião que parece não ter bom senso. É muito [ Continue lendo]

Evangelho de João: O Discípulo Amado

Eis umas linhas sobre o evangelho de João para nos ajudar na sua leitura. Boa leitura. João, o discípulo amado             João, é conhecido como filho de Zebedeu, o pescador. Ele, tem também um irmão, Tiago. Ambos fazem parte do grupo dos Doze (Cf. Mt 10,2; Mc 3,17; Lc 6,14; At 1.13). Mc 3,17 acrescenta que os dois irmãos receberam de Jesus o nome de ‘Boanerges’, isto é “filhos do trovão”. Independente de seu significado, esse nome certamente não sugere um comportamento passivo e contemplativo. Tinham personalidades fortes.             João e Tiago [ Continue lendo]

Evangelho de Lucas

Neste artigo trazemos alguns elementos para leitura e contextualização do evangelho de Lucas. Boa leitura! Destinatário Lucas é o único evangelho em que há indicações de um destinatário: Teófilo (1,3), o mesmo do livro dos Atos dos Apóstolos (At 1,1). Quem será esse Teófilo? Pode ser alguém importante que financiou a obra, como era costume na época. Pode ser também alguma autoridade romana a quem Lucas quer apresentar Jesus e defender os cristãos. Pode ser simplesmente um nome simbólico, isto é, “amigo de Deus”  [ Continue lendo]

Evangelho de Marcos

Neste artigo trazemos alguns elementos e informações para a leitura e contextualização do evangelho de Marcos. Boa leitura! Autor Seu autor é João Marcos. Sua mãe chamava-se Maria e acolhia em sua casa na cidade de Jerusalém uma pequena comunidade cristã (At 12,12). Marcos trabalhou com Barnabé, Paulo e com Pedro (At 12,25;13,5.13; 15,35-41; Fm 24; 2Tm 4,11,; 1Pd 5,13; Cl 4,10). Marcos escreveu seu evangelho para os gentios possivelmente no ano 64/70 na Palestina ou em Roma. Estilo simples, seu evangelho responde a pergunta: Quem é Jesus? A resposta é cativante e [ Continue lendo]

Evangelho de Mateus

Neste artigo, trazemos alguns elementos e informações para ajudar na leitura do evangelho de Mateus contextualizado. Boa leitura. Mateus e seu Evangelho Mateus também conhecido por Levi (9,9; Mc 2,14; Lc 5,27-29) é cobrador de impostos, considerado pelos fariseus e doutores como pecador. Seu nome em hebraico significa: “Dom de Deus”. Com este significado entendemos que a comunidade é um dom de Deus para os pobres, perseguidos, humilhados, doentes, pecadores e marginalizados. Mateus escreveu seu Evangelho lá pelos anos 85/90 d.C, quando as comunidades enfrentavam dificuldades de [ Continue lendo]

O Cristo

Introdução             Na história dos povos é comum constatar a crença numa personagem cuja função em momentos difíceis é ser o redentor, o libertador, aquele que devolver a esperança e dá sentido existencial e vocacional ao seu povo. Não sabemos quando isso começou, mas é notória na literatura antiga essa crença. Também não fica atrás a cultura moderna. A figura do herói que vence o inimigo, que instaura a paz, é muito alimentada e cultuada desde tenra idade entre as pessoas e famílias, principalmente e modernamente com a cultura cinematográfica. Essa [ Continue lendo]

Marcos 9,2-10: Transfiguração

Neste segundo domingo da quaresma a liturgia nos propõe como escuta da palavra, o evangelho de Marcos 9,2-10. Nesse texto nos é apresentado Jesus transfigurado tendo ao seu lado Elias e Moisés, e aos seus pés os discípulos Pedro, Tiago e João. Dentro do contexto em que o evangelho foi escrito e salientando que o mesmo em certo sentido de leitura quer responder a pergunta “Quem é Jesus” fica obvia a resposta nessa perícope proposta para hoje: Jesus é aquele que (a) continua as intuições da linha profética (Elias) e da lei (Moisés);  (b) sendo ele o maior dos profetas e mais [ Continue lendo]

O Pecado de Jesus

            Volta e meia, nos deparamos nas reuniões e encontros, com uma afirmação a respeito de Jesus e do pecado que não corresponde à verdade. Escuto dizer: “Jesus foi humano em tudo, menos no pecado.” A interpretação dessa afirmação insinua algo haver com a sexualidade e sempre de modo negativo. Essa ideia é errônea por falta de conhecimento e contexto das Escrituras. De fato, ele não cometeu pecado. Mas de que pecado se está falando aqui? Geralmente, ao citar esse texto: “Jesus foi humano em tudo, menos no pecado” tem-se a ligeira impressão de que se [ Continue lendo]

Lucas, 10, 38-42: Marta e Maria

No evangelho de Lucas, 10, 38-42, temos o episódio em que Jesus se encontra com Marta e Maria em casa de ambas. Marta atarefada pede que o Senhor repreenda a Maria que o escutando a seus pés, deixa a irmã com os afazeres domésticos. Esse, porém, lhe dirige a palavra enfatizando que Maria nesse momento estaria livre, pois, com a melhor parte, enquanto Marta deveria continuar executando a tarefa que a si lhe havia imposto. Essa leitura é de difícil interpretação e que, durante séculos serviu tanto para o Ocidente quanto para o Oriente de argumentação, quando não muito, [ Continue lendo]

Sacramento da Eucaristia

Introdução Junto com o Batismo e a Crisma, a Eucaristia faz parte dos Sacramentos da iniciação  Cristã: O Batismo é o Sacramento da Filiação Divina e do ingresso no povo de Deus. A  Crisma é o Sacramento do Espirito  Santo. A Eucaristia é o alimento do povo que caminha sob as luzes do Espírito. Ao falarmos desse Sacramento, queremos olhá-lo sempre dentro da celebração  eucarística (Missa). E pretendemos apresentá-lo sempre como memoria (anamnese) da Paixão, Morte, Ressurreição e Glorificação de Jesus até que ele venha.              A Eucaristia é, pois, [ Continue lendo]

Jo 12, 20-22: Queremos ver Jesus

Os gregos ouviram falar de Jesus. Sua fama se espalhou. Alguns gregos prosélitos, por algum motivo foram em busca de ver Jesus. Encontram André e Filipe, discípulos do Senhor. Pronto, o encontro foi arranjado. A atitude dos gregos supõe fé no Deus dos pais, Javé; eles eram prosélitos e ouviram falar da pessoa e do agir de Jesus (Jo 6, 37-38). Jesus é a definitiva manifestação de Deus no meio do povo (Hb 1, 1-4; Jo 5, 39.43a). Ele nos fala do Pai, de seu amor por nós. Ele age como age o Pai (Jo 5,19-20; 7, 16-18; 8, 25-29; 14, 5-11). Ver Jesus não significa para nós, hoje, [ Continue lendo]

Jesus fundou uma Igreja?

Introdução Recentemente, aqui no site, e em algumas palestras, fui questionando sobre a origem da igreja Católica. As perguntas foram: Jesus fundou uma Igreja? É a igreja Católica a primeira e a verdadeira? A princípio não é fácil responder a essas perguntas. É preciso que os ouvintes tenham de antemão alguma compreensão de teologia bíblica; tenha algum conhecimento da história das sociedades antigas, sobretudo do império romano. Também é preciso humildade e clareza para compreender as informações e saber interpretá-las. Creio eu, que tendo acesso as informações e essa [ Continue lendo]

Deus existe, é real!

Mas em que consiste? Nada sabemos, a não ser daquilo que foi conservado pela Igreja e é doutrina de fé. Deus é real. Existe. Ele próprio é a Origem das origens. Sua Natureza é de ordem diferente de tudo o que existe e mesmo assim, nos é próximo, amoroso, cuidadoso e axial. Nada do que existe ou venha existir lhe é igual ou semelhante em natureza. Ele é único e como disse a Origem de toda origem. Não existe nada antes dele, acima dele, abaixo dele, a frente dele, superior a ele ou em essência como ele ou com ele. Ele é único. Totalmente Diferente, totalmente Outro, totalmente [ Continue lendo]

A Ressurreição.

A fé cristã tem como elemento primordial e fundante a páscoa da ressurreição do Senhor.  A mensagem da páscoa é clara e objetiva: a vida é a palavra final. A vida continua de outro modo definitivo e pleno. Como é esse outro modo nada sabemos; toda e qualquer especulação e descrição do mesmo é pura fantasia e devaneio intelectivo; porém isso não significa que não podemos refletir. Falemos, pois, da ressurreição da páscoa do Senhor enquanto vida e vida plena. Ela nos dá uma certeza: a vida continua. Como chegamos a essa conclusão? Quais as provas e argumentos? A [ Continue lendo]

Jo 3,14-21: Jesus é Luz!

No evangelho desse quarto domingo da quaresma temos alguns elementos bastante complexo para nossa reflexão: aí encontramos o amor de Deus que nos dá o que de melhor tem para provar que nos ama e nos quer bem; ao mesmo tempo esse objeto de amor do Pai nos é exigente divisor de lados: a luz ou as trevas; e por fim, temos a questão da verdade absoluta na qual todo homem um dia se questionará e se posicionará perante ela. O amor que emana de Deus por nós é incondicional. Ele toma a iniciativa e vem ao nosso encontro, esteja onde estivermos e como estivermos. Ele não mede esforços para [ Continue lendo]

Carta a Diogneto

No início do século III aparece esta carta de autor desconhecido, onde se louva a beleza do ideal cristão. Os cristãos não diferem dos demais homens pela terra, pela língua, ou pelos costumes. Não habitam cidades próprias, não se distinguem por idiomas estranhos, não levam vida extraordinária. Além disso, sua doutrina não encontraram em pensamento ou cogitação de homens desorientados. Também não patrocinam, como fazem alguns, dogmas humanos. Mas, habitando, conforme a sorte de cada um, cidades gregas e bárbaras, é acompanhado os usos locais em matéria de roupa, [ Continue lendo]

Mc 1, 9-11. O batismo de Jesus

Experiência excepcional foi para Jesus o seu batismo. Nada consta desse momento a não ser, do que se é dito nos evangelhos, sob diversas matizes teológicas. Sem sombras de dúvidas, esse momento nos diz muito, a nós e as comunidades primitivas: é a partir desse momento que Jesus toma para si, enquanto adulto, aquela preocupação primeira e única em sua vida, o Reino. Nada sabemos de suas experiências interiores, místicas, e de descobertas sobre Deus e seu querer, entretanto, sabemos que, o batismo constitui para Jesus entre tantas outras experiências a mais paradoxal do encontro do [ Continue lendo]

Desnatalizando o Natal.

Na época do natal o ambiente muda. Na rua, na praça, no comercio, em casa, nas igrejas, há um ar diferente. Mensagens por todos os cantos ressoa aspirações, sonhos, desejos e concretizações. As pessoas parecem estar mais acessível, sensível, fraternas e um espírito se espalha tomando conta de todos. Gestos, brindes, presentes, músicas, comidas, roupas, dão um toque especial e diferente. O consumismo está em alta, pois as motivações são muitas, mas tem único e mesmo endereço: é natal. Data simbólica mais que realidade histórica, mexe com o imaginário e a fantasia das [ Continue lendo]

Mateus 11, 25-30: A nova experiência de Deus

A religião judaica com seus ritos e preceitos e sua prática pelos grupos religiosos e políticos da época de Jesus deixava sobre o povo um fardo muito grande. Deus era contemplado sobre o prisma da Lei. E conforme o Código da Santidade (Lv 17-26,46) os pobres, os doentes, os estrangeiros, os profissionais das mais variadas atividades consideradas repugnante e impura juntamente com os pecadores, estavam distante dessa realidade e não podia se quer se aproximar do sagrado. Tal era a situação que perdurava sobre o povo que ele mesmo estigmatizado fazia a seu modo, sua pratica religiosa [ Continue lendo]

João 12,20-33: Jesus, dom de Deus para nós.

Hoje, queremos partilhar o texto de João 12,20-33. Ele nos apresenta um momento impar da vida e do ministério de Jesus. Sua pessoa e mensagem extrapola as fronteiras e chega aos gregos. Lembrando que a região da Galileia era um corredor de passagem para a Judéia, e conseqüentemente, era a porta de entrada para esse mundo fascinante que é a cultura israelense. Pois bem, chega através dos discípulos aos ouvidos de Jesus o recado de que alguns gregos querem prosear com ele. Nesse momento, acontecem duas coisas: Jesus se alegra e entende que essa hora representa uma glória; e por outro [ Continue lendo]
1 2 3