Novidades

“Quem é essa que avança como aurora…”

n.s.fátmaAmigo internauta, no livro Cânticos dos Cânticos ou Cantares do Primeiro Testamento, no capítulo 6, verso 10 está escrito: “Quem é essa que surge como aurora, bela como a lua, brilhante como o sol e terrível como exército com bandeiras erguidas?” (Nova Bíblia Pastoral) e cuja interpretação e leitura cristã moderna, nós a aplicamos a Maria, mãe de Jesus. Sim, inclusive há um hino bem popular que, provavelmente você já o tenha escutado, traz essa realidade e sentimento que seus devotos e filhos cantarola vez outra.

            De fato, olhando a história das aparições de Maria, mãe de Jesus, Nossa Senhora, observamos como em seu entorno se ajunta milhões de fiéis que vão em busca de favores; outros vão agradecer; e outros vão pelo fato de serem curiosos; e outros ainda, ceticamente, vão observar para depois falar ou criticar tal evento como sendo uma jogada da Igreja para converter mais fiéis e manter-se no poder ou adquirir mais poder frente ao Estado (uma vez que tem sob seu comando milhões de eleitores); ou coisa assim.

            Neste artigo o que quero chamar atenção é: o texto sob perspectiva cristã soa como testemunho daquilo que Maria representa ser: instrumento de Deus nas mãos de Jesus a nosso favor. No texto, aurora, lua, sol, exército, bandeira, dão uma conotação de grandeza e de intensidade no contexto de guerra, uma vez que o texto compara com um exército em plena frenesi de batalha.  Maria então comparada com tais grandezas é potencialmente superior e seu exército com a bandeira da paz (que é Jesus, se assim podemos interpretar) avança em campanha vitoriosa sobre o mal.

Olhando para o numinoso exército dos filhos e devotos de Maria mãe, se constata ser não só verdadeira, mas precisamente credível o que o texto bíblico nos afirma, de modo que também nós, nos fazemos ouvintes da Palavra e nos passos de Maria, no poderoso exército sob seu comando, seguimos seu filho Jesus. Dessa forma, como nos atesta são Lucas, somos membros da geração que canta com Ela e por meio dela, os louvores do Senhor.

            Acertadamente, o texto que não fala de Maria e nem à ela se refere, encontra em Maria mãe do Senhor, sua melhor realização, e para nós cristãos filhos e filhas da Mãe, nossa melhor resposta de fé. E como costumo dizer: é dado de fé que a razão não compreende e fica a se debater. Você não concorda comigo?

Deixe uma resposta