Novidades

O Apocalipse ontem e hoje.

apocalipseO livro do Apocalipse enquanto paradigma (referencia) serve-nos de inspiração e esperança em meio as perseguições quando se trata da fidelidade a Jesus de Nazaré. Não é tanto pelo seu conteúdo “profecia” para o “futuro”, não, não se trata disso. É que, como foi escrito em contexto de perseguição e para os perseguidos, ele alimenta aquele espirito cuja vida somos levados a assumir até as últimas consequências quando se trata do seguimento e testemunho de Jesus, em meio a situações adversas de injustiças e opressão, e de supressão do direito à vida e a dignidade humana, como filhos e filhas de Deus.

Em todas as épocas e lugares de todos os tempos houve e sempre haverá perseguição à fé cristã. Essa “perseguição” esconde algo daquilo que nos fala os evangelhos: aderir, sim ou não, a Jesus e ao Reino. É disso que se trata. E nesse caso, a perseguição pode ser aberta ou velada, violenta física ou verbal. Porque o que está em jogo é a própria credibilidade de Jesus.

Colocando desse modo o livro do Apocalipse tem sentido e é sempre atual. Seu enredo, personagens, números, símbolos, anúncios e denúncias (profecias) nos tem muito a dizer como releitura de nossas próprias estruturas e realidade desde que, não a absolutizemos e/ou sejamos fundamentalistas e extremistas. Compreendido assim, o Apocalipse por analogia se torna para nós uma profecia sempre atual e atuante.

Mas, não é o que vemos por ai. As pessoas se apegam ao Apocalipse de uma maneira tal que o transforma em uma reportagem ao vivo e a cores diante da situação em que vivem nos tempos atuais. Daí entender porque a leitura desse sagrado livro causa tanto medo e apreensão principalmente nos momentos de incertezas. Seja como for, o Apocalipse exige uma tomada de posição e, talvez, seja justamente isso que cause tanto pavor aos leitores e ouvintes.

Muitos leitores se apegam aos “símbolos” pelos “símbolos” e esquecem sua realidade mais profunda; ou mesmo se apega a um só (seja personagem, símbolo ou número) texto para em seguida ler todo o livro com aquela ideia na cabeça fazendo dela uma chave única de leitura; ou ainda, vai à leitura do livro com as ideias, signos e realidades de hoje tirando-o de seu contexto e do seu objetivo… tudo isso, causa uma enorme confusão de interpretação e medo. E daí surge os questionamentos como tais: Porque a Igreja de matriz Católica silencia quanto aos temas e ao livro do Apocalipse? Porque usa apenas alguns textos (perícopes) em sua Liturgia e em sua Doutrina mas nada mais diz a respeito do conjunto da obra ou de seus temas particulares? Porque a Igreja não dá tanta “propaganda” ao Apocalipse como por exemplo, o faz as Igrejas de matriz Protestante – principalmente as de cunho Pentecostal?

Tais perguntas já trazem consigo uma resposta embutida em forma de pergunta: O que o leitor realmente sabe da Igreja de matriz Católica e de suas publicações? O que realmente conhece de seu pensamento e sua teologia a respeito? O que realmente sabe do Apocalipse?

O Apocalipse foi escrito para animar, dar esperança aos perseguidos em meio as perseguições. Então, só o compreenderá quem “está por dentro” do espírito e contexto semelhante, coisa que para quem “está de fora” terá grande dificuldade em compreender.

Aquilo que está em evidencia no Apocalipse enquanto dado de fé (Vitória do Cordeiro, A nova realidade enquanto Novo Céu, Nova Terra, a Volta do Senhor) faz parte da fé da Igreja de matriz Católica e é celebrada pela Liturgia no Tempo do Natal com bastante ênfase, apesar do “Papai Noel”.

E aqui, abrimos um parênteses. Como qualquer coisa que queremos usar corretamente mas não o sabemos, e precisamos “aprender” para usufruir bem, também assim o é com a Religião. Religião também se aprende. E nesse caso, em se tratando da Bíblia, de modo particular, o livro do Apocalipse, precisa-se de uma “iniciação” para o ler corretamente. É preciso o leitor ter ferramentas que possibilite uma leitura segura, honesta, para compreender com bom senso a mensagem autentica que nele está contido. E isso não se faz lendo só o livro, mas também buscando ferramentas que possa nos ajudar a ler e compreender verdadeiramente.

O livro do Apocalipse tem muito a nos dizer hoje, mas depende muito de seu leitor está preparado ou não. Compreende? Ele não é do passado, sua mensagem é para todos os tempos, pois também ele, é Sagrado e Inspirado.

Deixe uma resposta