Novidades

Êxodo: fato histórico, relato de fé, constituição de um povo (introdução ao Êxodo)

            exodoOs textos  do “êxodo” são textos escritos numa época em que os fatos já se tornaram uma “epopéia nacional” e que são frutos de uma releitura e experiência única: a salvação realizada por Javé. O fato histórico aconteceu numa escala de grau bem menor do que vemos em filmes e se diz por ai, dentro de uma leitura ao pé da letra. O que temos no livro sagrado é um testemunho de fé e interpretá-lo doutro modo é no mínimo faltar com a verdade e com respeito ao mesmo. O texto é fruto de sucessivas releituras em contextos diversos até chegar ao texto atual.

            De acordo com o contexto social da época do êxodo histórico, nem todo Israel estava lá, como povo constituído. O processo da escravidão alastrava-se desde o Egito até por toda Canaã que também era um ‘Egito – casa da escravidão’. Grupos se organizaram em Canaã e no Egito de modo imprevisível e encontraram-se no mesmo patamar da bandeira da opressão versos libertação. Como foi esse encontro não há registros a contento, o que se sabe é que, desse encontro constituíram uma força revolucionaria de libertação e criaram outro modo de vida a margem da sociedade vigente.  Essa sociedade foi minada por uma revolução sem precedência na história e o elemento impulsionador foi à fé num Deus antes nunca visto ou pensado ou jamais experimentado. Dessa experiência de fé nasce o Povo de Deus.

            Por isso, baseado nas evidencias científicas podemos dizer que, o texto atual é uma releitura pós-exílio e constitui uma saga nacional, onde todas as tribos, agora, Povo constituído, se fazem presente, no Êxodo. Assim parece ser a intenção do redator final do texto atual. Por quê? Para que os que voltaram do exílio pudessem ser identificados com a fé e o povo do êxodo, o povo javista. Para ser povo da herança israelita. Essa era uma exigência feita aos que regressaram do exílio babilônico. Os textos estão em função das indagações e situação das tribos surgida no exílio e se perpetua no pós-exílio. A questão de fundo é: Quem faz parte (pertence) da herança (terra, descendência, bênção) israelita? Através de que ou de quem?

            Então, a epopéia do êxodo não só é uma afirmação de criação do Povo enquanto povo, como também define sua identidade e sua permanência na Terra Santa, terra que ‘corre leite e mel”.  Daí precisamos está atentos ao texto e contexto, bem como abordar o texto dentro de uma perspectiva de fé, aquela mesma fé que mostrou o rosto libertador de  Deus e constituiu um povo e um projeto que tem em Jesus sua máxima e completa consolidação.

Deixe uma resposta